UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

03/11/2009 - 13h37

Governo angolano prevê crescimento de 8,2% para 2010

Luanda, 3 nov (Lusa) - O governo angolano prevê um crescimento de 8,2% da economia do país para 2010, garantido sobretudo pelo setor não petrolífero, anunciou nesta terça-feira o ministro da Economia, Manuel Nunes Júnior.

Manuel Nunes Júnior, que falava à imprensa no final da cerimônia de entrega do Plano Nacional para 2010/2011 e do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2010 à Assembleia Nacional, disse ainda que para o setor não petrolífero está previsto um crescimento de 15%.

Segundo o ministro, o setor petrolífero, anteriormente a garantia da economia nacional, tem um crescimento previsto na ordem do 1,1%.

"Estamos a verificar uma mudança estrutural significativa da nossa economia. Hoje o setor petrolífero já deixou de ter o peso que tinha anteriormente no nosso Produto Interno Bruto", salientou o ministro.

Angola produz atualmente, segundo números oficiais e impostos pelas cotas definidas pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), 1, 65 milhão de barris/dia.

Algumas agências internacionais colocam estas cifras perto de 200 mil barris/dia acima do estipulado pela Opep, a que Luanda aderiu em 2007, e mantém atualmente a sua presidência rotativa.

De acordo com o ministro da Economia, o setor não petrolífero começa a ter "um peso positivo" na estrutura da economia angolana, um sinal de diversificação do setor, com destaque para as áreas da agricultura, indústria transformadora e serviços mercantis.

O Conselho de Ministros aprovou na semana passada o plano nacional econômico para 2010/2011 e o OGE 2010, com receitas e despesas estimadas em mais de 30 bilhões de euros.

Entretanto, no seu relatório de outubro, o Banco Mundial (BM) considera que o atual momento da economia Angola permite um "otimismo cuidado" sob uma "contínua prudência" na condução das políticas macroeconômicas, graças à subida do preço do petróleo nos mercados internacionais.

No relatório mensal de outubro, assinado pelo economista-chefe do BM em Angola, Ricardo Gazel, o banco assinala que a economia do país melhorou, apontando como razão principal a "recuperação do preço do petróleo".

Para isso, aponta Gazel, contribuiu o fato de o preço do Girassol, referência para Angola, que, apesar de se manter 30% abaixo dos valores de há um ano e 48% abaixo do pico registrado em julho de 2008, recuperou 68% sobre dezembro de 2008.
Hospedagem: UOL Host