UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/11/2009 - 21h34

Empresário pede mais ajuda do Estado luso à terceira idade

Coimbra, 4 nov (Lusa) ? O diretor-geral da empresa de cuidados domiciliares Comfort Keepers Portugal, Jorge Monteiro, afirmou nesta quarta-feira que o Estado português deveria dar um apoio direto ao idoso para a prestação destes serviços,de forma que este escolhesse a maneira como quer ser assistido, como acontece na Espanha.

"Em Espanha é apoiado o cidadão e este escolhe a forma como é assistido. Em Portugal, o Estado apoia fundamentalmente as IPSS [Instituições Particulares de Solidariedade Social]", afirmou Monteiro.

O empresário, que falou com a Agência Lusa no final de um workshop sobre "Desafios e oportunidades de negócio na área dos cuidados domiciliares", disse que a medida seria positiva e "daria uma maior transparência em termos de normal funcionamento do setor", no qual entende que seria necessária uma "maior regulação".

A questão foi levantada no debate que fechou o evento, período de discussão em que discursaram, entre outros, o presidente da Associação Nacional de Apoio Domiciliar Profissional (Anadop), Luís Filipe Silva.

Para ele, essa ajuda estatal deveria ser prestada ao idoso e à família deste, que poderia escolher o cuidador.

As vantagens do sistema de franquias no início, desenvolvimento e sucesso do negócio e os apoios ao financiamento e à criação de empresas e de iniciativas locais de emprego foram as questões debatidas na segunda parte do evento.

"Os cuidados domiciliares podem constituir uma janela de oportunidade e um forte impulsionador para a dinamização econômica da zona Centro, sendo que este é um serviço que cada vez mais famílias procuram", considerou Monteiro, ao abordar a questão das vantagens do sistema de franquias.
Hospedagem: UOL Host