UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/11/2009 - 15h29

Associação aponta queda nas receitas do setor hoteleiro luso

Lisboa, 5 nov (Lusa) - As receitas no setor hoteleiro português estão caindo entre 15% a 25% e para o próximo ano não se prevê melhorias, afirmou à Agência Lusa o presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Henrique Veiga.

"Estamos a falar de uma redução das receitas entre 15% e 25% consoante os destinos e os segmentos", disse Veiga quando questionado sobre o balanço do setor até o final de outubro.

O responsável disse existirem "segmentos e regiões onde as perdas ascendem a 40%" e considerou que se mantiveram as expectativas divulgadas no início do ano.

"O verão não contrariou esta expectativa de quebra de receitas porque a partir de junho a ocupação recuperou, mas os preços desceram", justificou.

Para o próximo ano, o presidente da AHP não prevê melhorias.

"A não ser que hajam fatores extraordinários, mantenho-me pessimista", concluiu.

Os dados da AHP referentes aos primeiros oito meses do ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, apontam para uma quebra global de 11,82% na taxa de ocupação por quarto, para 57,53%, e de 11,94% no preço médio por quarto disponível (REvPar), para 39,09 euros.

A maior descida nas receitas por quarto registra-se nos hotéis de cinco estrelas, com uma quebra de 17,82%, para um preço médio de 52,91 euros, sendo também neste segmento que se registra a maior quebra da taxa de ocupação por quarto, em 18,23% para 48%.

Os hotéis de três estrelas são os que registram a menor quebra quer no RevPar (-7,80% para 30,14 euros), quer na taxa de ocupação (-6,89% para 60,2 por cento).

Em termos de regiões, verifica-se que Viseu foi a zona onde a taxa de ocupação por quarto mais caiu entre janeiro e agosto, em 25% para 29,92 por cento.

Lisboa foi a região onde se registrou uma maior quebra nos preços, de 17,68% para 46,64 euros.

O preço dos quartos dos hotéis de cinco estrelas na capital registrou a maior quebra a nível nacional, em 27,28%, seguido da Madeira, cujo preço médio caiu 25,2%.
Hospedagem: UOL Host