UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/11/2009 - 11h01

Crise amplia desemprego na zona do euro, aponta Eurostat

Bruxelas, 5 nov (Lusa) - O número de postos de trabalho na União Europeia e na zona do euro tem diminuído desde o segundo trimestre do ano passado em função da crise econômica, de acordo com os dados divulgados pelo Eurostat.

Entre o segundo trimestre de 2008 e de 2009, o número de pessoas empregadas diminuiu 1,9% para 222,7 milhões de pessoas na UE-27 e 1,8% para 145,5 milhões na zona euro (ZE16), segundo o gabinete europeu de estatísticas.

Em Portugal, no mesmo período, o emprego caiu 2,7%, para 5,027 milhões de pessoas.

As estatísticas mostram também que as pessoas mais qualificadas são as que têm mais facilidade em arranjar emprego, sendo que a taxa aumentou (3% na UE27 e 1,6% nos 16 países da zona do euro) entre os diplomados.

Já para as pessoas com nível de formação inferior (no máximo um ensino básico de nove anos), o emprego diminuiu 4,9% na EU-27 e 5,4% na região de moeda única.

Para as pessoas com nível médio de formação (ensino secundário e pós-secundário não-universitário) a taxa de emprego caiu 2,6% na EU-27 e 1,6% na zona do euro.

Em Portugal, o Eurostat indica que o emprego diminuiu 6,3% para os menos qualificados, aumentou 6,2% para as pessoas com qualificação média e cresceu 4,1% para quem tem curso superior.
Hospedagem: UOL Host