UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/11/2009 - 19h31

Municípios catarinense e luso firmam acordo comercial

Mação, Santarém, 11 nov (Lusa) - A sinalização do primeiro lote de presunto com a marca registrada 'Mação' foi pretexto, nesta quarta-feira, para o "primeiro passo para futuras trocas comerciais" entre este concelho do distrito de Santarém e o município de São José, em Santa Catarina.

Com cerca de dez empresas, 150 funcionários e cinco mil toneladas de presunto fabricadas por ano, Mação é responsável por 70% da produção nacional deste artigo, se beneficiando de um "microclima favorável e do saber fazer por via das tradições ancestrais", disse à Agência Lusa o vereador António Louro.

O político explicou que "o que se viu hoje foi a marcação a fogo do primeiro lote de presunto de 'Marca Mação', que estará no mercado dentro de oito/nove meses e que resulta da união de todas as empresas transformadoras em torno de determinados pressupostos, critérios e normas de qualidade".

"A marcação a fogo é feita no dia em que o presunto é salgado e identifica a região e assinala a data, sendo um presunto de excelência caracterizado pelo teor de sal, tempo mínimo de cura, conformação e peso, entre outras características, elementos a partir de hoje comuns a todos os produtores de Mação", afirmou.

Assistiu à marcação do presunto uma delegação empresarial brasileira que visitou o município português para participar do encerramento do seminário internacional "Cadeias operatórias na cerâmica arqueológica".

A delegação visitou algumas unidades fabris e empresariais da região do Médio Tejo para "estabelecer contatos e para trocas de ideias e experiências".

O secretário da Receita de São José, Moacir da Silva, que também é vereador por este município catarinense, disse à Agência Lusa que ficou "muito satisfeito com o processo produtivo e com os modelos de gestão" que encontrou nas unidades transformadoras de presunto de Mação.

Também para ele, "foi dado um primeiro passo em um caminho que pode conduzir a futuras oportunidades de negócio".

Fazendo referência ao mesmo assunto, António Louro acrescentou que "este objetivo é perseguido há vários anos", e adiantou que o Brasil é um mercado "importante em termos de potencial para exportação".

"A visita da delegação brasileira foi importante no sentido de darmos a conhecer este 'novo' produto de marca registrada, que pode, agora, concorrer em pé de igualdade em segmentos de alta qualidade, porque de marca superior e de excelência na qualidade", concluiu.
Hospedagem: UOL Host