UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

13/11/2009 - 09h08

Alemanha prevê crescimento econômico de 1,6% em 2010

Berlim, 13 nov (Lusa) - Os conselheiros econômicos do governo alemão entregaram nesta sexta-feira à chanceler Angela Merkel o seu relatório de Outono, no qual prevêem uma retração do PIB de 5% neste ano, e um crescimento de 1,6% em 2010.

Os chamados Cinco Sábios vão assim além da previsão do Executivo e dos principais institutos de economia, que no mês passado apontaram para um crescimento de 1,2% em 2010, e uma quebra de 5% neste ano.

Os conselheiros advertem, no entanto, que a retomada é "demasiado frágil e instável" para que o governo possa assumir novos encargos.

Em relação ao desemprego, eles estimam também um aumento inferior ao do governo, que fala de mais 600 mil desempregados no próximo ano, apontando para mais 500 mil desempregados em 2010, para cerca de quatro milhões.

Além disso, o estudo critica duramente o programa do novo Executivo de centro-direita, sobretudo no que diz respeito à intenção de baixar a carga fiscal em bilhões de euros a partir de 2011.

"Falta um projeto consistente para uma estratégia que permita ao Estado reduzir as enormes ajudas à conjuntura, e também não há no programa do governo passos concretos para reduzir a dívida pública", alertam os conselheiros.

Além disso, eles criticam a opção pela redução dos impostos, e consideram que seria preferível "fazer investimentos em projetos com futuro", sobretudo nos setores do ensino e da inovação.

O relatório dos Cinco Sábios, de 437 páginas, surge no momento em que o Governo apresentou ao Parlamento a chamada "Lei de Aceleração do Crescimento Econômico", que prevê uma redução suplementar da carga fiscal na ordem dos 8,5 bilhões de euros já em 2010.

Em conjunto com as medidas já aprovadas pelo anterior Executivo, a redução dos impostos e contribuições atingirá assim cerca de 14 bilhões de euros, num ano em que se prevê um aumento recorde de 86 bilhões de euros do serviço da dívida.

Simultaneamente, os conselheiros constatam que o governo "reagiu bem" à crise econômica, e recomenda que as ajudas conjunturais a empresas e bancos só comecem a ser retiradas em 2011.

Os conselheiros referem-se também à concessão de eventuais garantias bancárias no quadro da reestruturação da Opel pela matriz, a norte-americana General Motors, afirmando que tais ajudas do Estado "são injustificáveis do ponto de vista econômico".

O Conselho dos Cinco Sábios é formado pelos professores Wolfgang Franz (Universidade de Mannheim), Peter Bofinger (Wuerzburg), Christoph Schmidt (Essen e Bochum), Beatrice Weder di Mauro (Mainz) e Wolfgang Wiegard (Regensburg).
Hospedagem: UOL Host