UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/11/2009 - 10h29

Fim de obras para Copa ampliará desemprego na África do Sul

Johannesburgo, 16 nov (Lusa) - A conclusão das obras para a Copa do Mundo de 2010 no final do ano, vai deixar mais de 30 mil trabalhadores desempregadas, de acordo com estimativas do setor da construção sul-africano.

Os 10 estádios onde a competição será disputada, bem como as infra-estruturas ferroviárias, rodoviárias, de telecomunicações e outras estão praticamente concluídas. Porém, a recessão econômica não tem permitido o lançamento de novos projetos que possam absorver a mão-de-obra que estava ao serviço das grandes obras para a Copa.

Como isso, a taxa de desemprego na África do Sul, que no terceiro trimestre do ano cresceu de 29,7% para 31,1%, deverá aumentar ainda mais em finais do ano, alertou no Parlamento o líder da Aliança Democrática (AD), a maior força da oposição política no país.

De acordo com uma fonte do Sindicato Nacional dos Mineiros (com a sigla original NUM, que abrange também a construção civil), pelo menos 36 mil dos 60 mil trabalhadores da construção que tinham empregos em função da Copa deverão perder os seus empregos até o Natal.

Alguns projetos lançados especificamente no âmbito da Copa, como o novo aeroporto internacional de Durban, em La Mercy, e o trem metropolitano que ligará Johannesburgo e Pretória ao aeroporto internacional OR Tambo (Gautrain) estão ainda em execução, mas quando ficarem concluídos, nos próximos meses, também ocorrerão milhares de demissões.

Apesar da promessa eleitoral feita pelo partido no poder, o Congresso Nacional Africano (CNA), antes das eleições de março, de que o Estado criará 500 mil novos postos de trabalho durante o atual mandato, o desemprego continua a aumentar. Além disso, o presidente sul-africano, Jacob Zuma, admitiu que "já seria uma vitória se a economia conseguisse criar 100 mil novos postos de trabalho até ao fim da legislatura".
Hospedagem: UOL Host