UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

21/11/2009 - 18h55

Presidente luso pede inovação para ampliar exportações

Estarreja, 21 nov (Lusa) ? O presidente português, Aníbal Cavaco Silva, defendeu neste sábado que será através de fatores "que estão além dos salários baixos", como inovação e qualidade, que Portugal poderá vencer a concorrência e aumentar as exportações.

"Aquilo que interessa destacar é a vontade de inovar, de encontrar factores complexos de competitividade que estão para além dos salários baixos. É por essa forma, pela inovação, pela investigação, pela qualidade que nós conseguiremos aumentar o valor acrescentado nacional e enfrentar com sucesso a concorrência de outros países", defendeu.

Em discurso na fábrica da Tensai Portugal, em Estarreja, o presidente luso voltou a falar das dificuldades que o país atravessa, sobretudo pelos números elevados do desemprego e de endividamento externo, insistindo que, para alterar a situação, é preciso apostar nas exportações.

"Portugal só conseguirá ultrapassar essas dificuldades, criar mais emprego, reduzir o nível de endividamento, com a contribuição de empresas de elevada produtividade, que são competitivas no mercado internacional e, consequentemente, enfrentam os concorrentes externos num mundo que é bastante agressivo, ganhando quota de exportação para o nosso país", declarou.

A este propósito, o chefe de Estado destacou a situação da Tensai Portugal, que exporta já cerca de 90% de sua produção.

"Nesta casa a palavra crise não existe, tentamos transformar cada dificuldade numa nova oportunidade", afirmou Cavaco Silva.

Meio-ambiente

Num dia dedicado à inovação ambiental, na primeira jornada do Roteiro das Comunidades Locais Inovadoras, Cavaco Silva falou ainda da necessidade de conciliar meio-ambiente e desenvolvimento, sustentando que não são "inimigos".

"É possível aproveitar a imagem de respeito e preservação do ambiente para criar valor acrescentado no domínio das empresas", disse, apontando a Tensai como exemplo de uma unidade que faz um esforço para respeitar completamente as matrizes de exigências ambientais que são impostas pela prefeitura de Estarreja no Ecoparque.

"Uma opção feita pela prefeitura para encontrar novos fatores de atractividade, como atrair empresas para se instalar neste Ecoparque, sublinhando as exigência no domínio ambiental", acrescentou.

No final da sua visita à fábrica, ele agradeceu ainda a contribuição dado para a redução do "seu campo de ignorância" em matéria de frigoríficos, depois das detalhadas explicações que ouviu.
Hospedagem: UOL Host