UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/11/2009 - 11h29

África, Caribe e Pacífico terão 100 mi de euros para energia

Maputo, 23 nov (Lusa) - A Comissão Europeia (órgão Executivo da União Europeia) lançou nesta segunda-feira um crédito de 100 milhões de euros para os países de África, Caribe e Pacífico (ACP) desenvolverem projetos na área energética.

Em 2005, a Comissão Europeia lançou o Programa Para a Facilidade de Energia, uma iniciativa que visa dar assistência aos países dessas regiões na preparação e implementação de projetos de energia no âmbito 10º Fundo Europeu de Desenvolvimento.

Além disso, a Comissão Europeia distinguiu Moçambique como o país que maior "sucesso" teve na primeira fase, na qual submeteu nove projetos. Sete deles foram aprovados.

Moçambique apresentou planos avaliados em 24,5 milhões de euros, que atualmente, se "encontram em diferentes estágios do processo de implementação", disse o ministro moçambicano da Energia, Salvador Namburete.

Para a próxima fase, "estamos a prepararmo-nos. Queremos voltar a ser os mais beneficiários destas facilidades", afirmou Namburete, acrescentando que os novos projetos "ainda não estão determinados".

"Temos projetos que vão desde a eletrificação de postos administrativos até eletrificação e implementação de grandes projetos, como Panda Nkuwa. As nossas necessidades são variadas. Em função das características dos termos de referência, do tipo de plano que essa facilidade cobrir, iremos depois decidir quais os projetos que iremos submeter", disse.

Além disso, ele garantiu que Maputo fará "tudo" para submeter os planos dentro dos prazos que forem estabelecidos pela Comissão Europeia.

Na fase anterior, o valor disponibilizado pela Comissão Europeia serviu para o financiar projetos nas áreas de eletrificação rural, energias renováveis, construção e manutenção de pequenas barragens, centrais mini-hidrelétricas, apoio institucional, assistência técnica ao Ministério de Energia, ao Fundo de Energia e à Eletricidade de Moçambique.

Na África subsaariana, somente 24% da população têm acesso aos serviços modernos de energia e, de acordo com o Banco Mundial, o continente africano necessita de 13,3 bilhões de euros por ano para enfrentar os desafios do setor energético.

Mas, mesmo com este nível de investimento, aproximadamente 1,6 bilhão de pessoas ainda permaneceria sem acesso a energia no continente mais pobre do mundo.
Hospedagem: UOL Host