UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/11/2009 - 12h28

Bruxelas autoriza TAAG a ampliar voos para Portugal

Bruxelas, 27 nov (Lusa) - A Comissão Europeia (órgão Executivo do bloco europeu) autorizou nesta sexta-feira a companhia aérea angolana TAAG a aumentar o número de aviões utilizados em suas operações aéreas com destino a Portugal.

A Comissão, que hoje atualizou a "lista negra" europeia das companhias de transporte aéreo proibidas de voar no espaço dos 27, manteve a TAAG entre as companhias que operam com restrições e sob determinadas condições. Contudo, foi permitida a utilização de mais aparelhos por causa dos progressos realizados pela empresa.

Em comunicado, Bruxelas indicou que reconhece "os grandes esforços desenvolvidos pela autoridade angolana da aviação civil e pela transportadora aérea TAAG - Linhas Aéreas de Angola para resolver progressivamente os problemas de segurança", pelo que a companhia aérea é "autorizada a aumentar o número de aeronaves utilizadas nas suas operações aéreas com destino a Portugal".

O executivo europeu havia decidido em julho levantar a proibição da TAAG em voar no espaço europeu, autorizando-a a retomar os voos para Portugal "apenas com certos aparelhos e segundo condições muito estritas".

O comissário europeu dos Transportes, António Tajani, detalhou naquela época que a TAAG se mantinha na lista-negra da UE, mas era autorizada a realizar 10 voos semanais para Lisboa, o que correspondia ao que fazia antes da proibição.

Lista negra

Contudo, a Comissão incluiu hoje a companhia aérea são-tomense STP Airways na "lista negra" de companhias proibidas de voar no espaço da União Europeia por questões de segurança.

Na sua atualização da lista, o executivo comunitário indica que "a lista foi ampliada de modo a incluir todas as transportadoras aéreas certificadas no Jibuti, República do Congo e São Tomé e Príncipe, dadas as deficiências de segurança observadas no sistema de supervisão pelas autoridades da aviação destes países".

A medida afeta deste modo a STP Airways, que reiniciou em agosto de 2008 voos regulares para Lisboa.

As restantes nove transportadoras proibidas de voar para a Europa são a África Connection, a British Gulf International Company Ltd, a Executive Jet Services, a Global Aviation Operation, a Goliaf Air, a Island Oil Exploration, a Transafrik International Ltd, a Transcarg e a Transliz Aviation /TMS).

São Tomé e Príncipe passa a ser um dos 15 países onde todas as empresas aéreas (num total de 228 companhias) estão proibidas de operar na União Europeia.

Os outros 14 países são Angola (com exceção da TAAG, autorizada a operar com restrições e em determinadas condições), Benim, República Democrática do Congo, Djibuti, Guiné Equatorial, Gabão, Indonésia, Cazaquistão (com exceção de uma transportadora autorizada a operar com restrições e em determinadas condições), Quirguizistão, Libéria, República do Congo, Serra Leoa, Suazilândia e Zâmbia.
Hospedagem: UOL Host