UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

29/09/2009 - 16h50

Campanhas 'moralmente indefensáveis' contra o azeite-de-dendê ameaça os pobres do mundo, revela novo estudo

Relatório revela como as tentativas das ONGs ambientais em restringir a produção e o comércio do azeite-de-dendê (um óleo sustentável) pode prejudicar as estratégias de sucesso para acabar com a pobreza e restringir as oportunidades dos países em desenvolvimento de reduzir as emissões BANGKOK, 29 de setembro /PRNewswire/ -- Hoje, durante a reunião de mudança climática das Nações Unidas em Bangkok, a ONG World Growth (http://www.worldgrowth.org/) emitiu um novo relatório (http://www.worldgrowth.org/assets/files/Palm_Oil.pdf) que expõe os danos econômicos e as consequências ambientais para os países em desenvolvimento das campanhas errôneas realizadas pelos grupos "verdes" ocidentais que visam interromper a produção do azeite-de-dendê, o óleo vegetal disponível mais sustentável. Em destaque, o resultado provocante do estudo que demonstra que o azeite-de-dendê tem sido mais eficiente do que a maioria das commodities de cultivo na redução da pobreza.

(Logo: http://www.newscom.com/cgi-bin/prnh/20081204/DC49733LOGO ) (Logo: http://www.newscom.com/cgi-bin/prnh/20090929/DC83335LOGO ) Alan Oxley, Chairman da World Growth, explica: "A dedicação dos ativistas do meio ambiente para com a preservação ambiental é louvável. No entanto, quando as boas intenções são atacadas de forma a forçar os países pobres a desistir de suas estratégias de sucesso para a redução da pobreza, isto tem que ser condenado como imoral. "O azeite-de-dendê é um cultivo eficiente de energia altamente sustentável que gera quase 10 vezes mais a energia consumida -- comparado com uma proporção de 2,5 da soja e de 3 das oleaginosas maduras. E, o mais importante, sua produção foi elogiada pelo Banco Mundial e pelo Banco de Desenvolvimento Asiático por sua eficácia em diminuir a pobreza no mundo em desenvolvimento".

Apesar destes benefícios significantes, as ONGs ambientais como a Friends of the Earth and Greenpeace estão fazendo campanhas bem financiadas, mas pouco substanciadas, para depreciar o azeite-de-dendê. Táticas usadas: -- pressionar as empresas de cosméticos e de alimentos a boicotar o azeite-de-dendê; -- fazer lobby nos governos para a criação de proibições de comércio; e -- forçar medidas que limitem a produção do azeite-de-dendê no novo tratado de mudança climática da ONU.

Um acordo internacional assinado na Eco 92, estipula que nenhuma estratégia global para abordar a mudança climática pode minar a capacidade que os países em desenvolvimento têm de aumentar o padrão de vida de milhões de pessoas que vivem na pobreza. Alguns ativistas do meio ambiente evidentemente pensam que o acordo pode ser rasgado. Oxley conclui: "Precisamos de estratégias para executar o programa Agenda 21 adotado no Rio, e não miná-lo. O resultado desta nova análise demonstra que o azeite-de-dendê faz parte da solução e não parte do problema". Para falar com os experts do World Growth ou para obter mais informações sobre o estudo, envie email para media@WorldGrowth.org ou ligue para +1-202-320-3965.

Acesse http://www.worldgrowth.org/assets/files/Palm_Oil.pdf para ler o Relatório completo da World Growth Acesse http://www.worldgrowth.org/assets/files/PalmOil-ExSum.pdf para ler o Resumo Executivo A World Growth é uma organização não-governamental sem fins lucrativos criada com uma missão educacional e de caridade de expandir a educação, informação e outros recursos disponíveis para as populações carentes para a melhoria da saúde e do bem estar econômico. Na World Growth, aprovamos e comemoramos a nova era da globalização e o poder do livre comércio como forma de erradicar a pobreza e melhorar as condições das vidas das pessoas no mundo em desenvolvimento. Para mais informações sobre a World Growth, acesse www.worldgrowth.org .

FONTE World Growth 29/09/2009 CONTATO: World Growth, +1-202-320-3965, media@WorldGrowth.org

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host