UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/10/2009 - 17h32

Quando o comércio global se recuperar, o valor das negociações crescerá mais rápido que os volumes

-- As indústrias de serviços expressos aéreos serão impulsionadas pela alta demanda por assistência médica individualizada, demanda por transferência de documentos na indústria de serviços internacionais e peças de reposição para equipamentos -- Estudos da DP-DHL e LSE indicam que a perspectiva de negócios a curto prazo permanecerá estagnada -- mas a médio prazo a situação é animadora CHENNAI, Índia, 8 de outubro /PRNewswire/ -- A DHL, importante empresa de logística do mundo, junto com a London School of Economics (Faculdade de Economia de Londres) revelaram hoje que quando o comércio internacional se recuperar a médio prazo, é provável que se perceba um aumento na proporção de negócios, especialmente em termos de valor, associados   indústria de serviços expressos aéreos. Frank Appel, CEO da Deutsche Post DHL, afirmou: "O comércio é essencial ao crescimento econômico e desenvolvimento global. É estimulante observar que a única agenda acordada na recente reunião do G20 foi a do avanço do comércio. Todos os governos concordaram que o comércio ajudará no curto prazo, e que se trata de uma parte essencial e inevitável para um desenvolvimento econômico a longo prazo. Como integrador econômico, nosso papel é essencial ao garantir que nossos serviços satisfaçam  s crescentes necessidades tanto de mercados desenvolvidos quanto em desenvolvimento". O estudo "International trade, Express Logistics and Globalization: Part and Parcel of the Solution to Current Economic Challenges" (Comércio internacional, logística expressa e globalização: parte integrante da solução aos atuais desafios econômicos) revelou que o panorama a médio prazo para o comércio global permanece sólido, mesmo com a estagnação, na melhor das hipóteses, dos negócios a curto prazo devido   baixa disponibilidade de crédito. No entanto, quando o crédito se tornar livremente disponível e o comércio se recuperar, o estudo sugere que o retorno da atividade comercial não beneficiará todos os países de igual modo. O estudo identificou o custo do transporte marítimo(1) e a disponibilidade dos procedimentos de análise como dois fatores proeminentes que influenciam o apelo de uma economia para atrair negócios internacionais. As descobertas foram baseadas em uma análise de custo e qualidade de logística no Brasil, Rússia, Índia e China (BRIC), que são responsáveis por 40 por cento da população mundial e 15 por cento da economia global, além de servirem de modelo para outras economias emergentes. O custo do frete aéreo é relativamente constante para os países do BRIC, comparado ao custo do transporte marítimo, que varia muito mais drasticamente em todo o mundo. Países que fornecem logística para remessa de mercadorias a baixo custo são mais atrativos a empresas fabricantes de produtos de valor geralmente baixo que são enviados por navio. A Índia, por exemplo, possui custos de remessa 50 por cento mais elevados que os da China, enquanto os custos da Rússia são mais de quatro vezes mais altos. Se a Índia pudesse reduzir o custo de remessas para se equiparar aos níveis chineses, o seu comércio cresceria 10 por cento, enquanto que o comércio do Brasil e da Rússia cresceria 30 por cento e 50 por cento, respectivamente, se tivesse custos de remessas correspondentes aos da China. O estudo mostra que países que desejem atrair empresas que usam remessas expressas aéreas não analisam tanto como melhorar os custos, e sim, como garantir a confiabilidade e pontualidade. Em especial, países nos quais os comerciantes podem solicitar preços baixos, a análise transparente de quaisquer decisões tomadas no local de operação terão uma maior fatia do comércio mundial. O relatório também observa que procedimentos eficazes de análise são notadamente ausentes em economias emergentes, representando um desafio para transportadoras que desejem importar ou exportar produtos prioritários, tais como ele trônicos "essenciais" de alto valor. A análise inferiu que se esses países tivessem que garantir a disciplina e atual disponibilidade de tais análises, a China e a Índia poderiam aumentar o comércio em 20 por cento, enquanto Brasil e Rússia aumentariam o seu em 30 por cento durante a recuperação pós-crise. "Os custos de transporte e logística em especial superam os das tarifas como as maiores barreiras ao comércio na proporção de 9 para 1. O estudo ressalta que países que buscam estar na vanguarda na próxima onda da globalização precisam se comparar frente  s melhores práticas globais. Economias emergentes que confiam na exportação podem aprimorar suas condições de comércio a fim de solidificar seus níveis de negócios internacionais quando a economia se recuperar", declarou Frank Appel, CEO da Deutsche Post DHL. Empresas de logística e recuperação econômica na Ásia Considerando o papel central da logística no comércio internacional, o estudo postula que as empresas de logística desempenham um papel essencial no suporte   recuperação econômica. Pelo fato de a indústria ter um modelo de negócios intensivo em capital -- com investimentos significativos em aviões, navios e veículos -- os custos de logística flutuam significativamente com a demanda. Dessa forma, durante a retração econômica, os custos de logística diminuem substancialmente, ajudando a aliviar o impacto total da retração econômica para os negócios envolvidos no comércio internacional. De igual modo, as empresas de logística desempenham um papel importante no aprimoramento da atratividade da Ásia como local para se realizar negócios. Com o rápido crescimento do poder de compra asiático, as empresas de logística permanecem bem estabelecidas na região, reconhecendo sua função estratégica. Pelo fato de os serviços de logística estarem amplamente disponíveis, isso, por sua vez, ajudará a países da região no combate   retração econômica, garantindo um melhor posicionamento durante o período de melhoria. Crescimento da indústria de serviços expressos aéreos Olhando para o futuro, o estudo prevê que a indústria de serviços expressos aéreos continuará a crescer proporcionalmente   recuperação no crescimento de volume de negócios, e destaca três áreas principais de expansão em potencial na indústria de serviços aéreos expressos -- incrementando a demanda por assistência médica especializada, demanda por transferência de documentos na indústria de serviços internacionais e peças de reposição para equipamentos   medida que o clima econômico exija mais atualizações e reparos do que substituições. "Os serviços expressos aéreos permanecem sendo um importante setor de rápido crescimento. O valor do comércio internacional aumentou 16 vezes nos últimos 50 anos, dominado amplamente por produtos de alto valor e prioritários que requerem entregas no prazo estipulado. Nos últimos anos, as remessas aéreas cresceram mais que o dobro do índice de fretes marítimos nos últimos 30 anos", disse Appel. "A recente entrada da Deutsche Post DHL em mercados emergentes na região da Ásia-Pacífico, tais como China e Índia, nos ajudará a manter-nos preparados para o melhor que está por vir. Quer sejam entregas prioritárias via aérea ou o fornecimento de suporte em nossas soluções de cadeia de suprimentos, a indústria de logística se tornará essencial como integradora na geração de crescimento econômico pós-crise", acrescentou ele.

(1) Os custos de transporte aéreo e marítimo são importantes no comércio internacional, e os governos podem rever esses custos reduzindo obstáculos ao comércio, e com as empresas de logística do setor privado se tornando mais eficazes. DHL - A companhia de logística para o mundo A DHL é a líder global no setor de logística e "A companhia de logística para o mundo". A DHL empenha sua experiênc ia em remessas expressas internacionais, frete aéreo e marítimo, transporte rodoviário e ferroviário, terceirização de logística e serviços de postagem internacional. Uma rede global formada por mais de 220 países e territórios e 310.000 funcionários no mundo todo oferece aos clientes serviços de qualidade superior e conhecimento local para satisfazer seus requisitos de cadeia de suprimentos. A DHL aceita sua responsabilidade social, apoiando a proteção ao clima, a gestão de desastres e a educação.

A DHL é parte da Deutsche Post DHL. O grupo gerou receita de mais de 54 bilhões de euros em 2008.

Fonte: International trade, Express Logistics and Globalisation: Part and Parcel of the Solution to Current Economic Challenges 2009 http://www.cinver.cl/archivos/LogisticsPerformanceIndex2007WorldBank.pdf - Índice de desempenho logístico do Banco Mundial de 2007 FONTE DHL 08/10/2009 CONTATO: Media, Lori Folts, DHL Americas, Comunicações e marketing, +1-954-626-4123, lori.folts@dhl.com

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host