UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/04/2010 - 10h28

PUMA se tornará uma companhia neutra em carbono em 2010

- A companhia de estilo de vida esportivo compensará a pegada de carbono das viagens para e dentro da África do Sul pelas equipes da Copa do Mundo
SEUL, Coreia e HERZOGENAURACH, Alemanha, 22 de abril /PRNewswire/ -- A companhia de estilo de vida esportivo PUMA irá compensar completamente suas próprias emissões globais de CO2, tornando-se assim a primeira companhia neutra em carbono dentro da indústria de estilo de vida esportivo, conforme anunciado pela PUMA na quinta-feira durante a 'Cúpula Global de Negócios pelo Meio Ambiente (B4E - The Business for the Environment Summit)' em Seul. Adicionalmente, a PUMA irá compensar as emissões oriundas das viagens internacionais das equipes nacionais patrocinadas pela PUMA que farão parte da Copa do Mundo de Futebol, neste verão na África do Sul.

"Sermos a primeira companhia de estilo de vida esportivo neutra em carbono é o próximo passo lógico em nossa missão de nos tornarmos a companhia de estilo de vida esportivo mais desejada e sustentável do mundo", disse Jochen Zeitz, Executivo-Chefe do Conselho e Presidente da PUMA. "Também aceitamos, com bastante seriedade, o desafio do UNEP (Programa Ambiental das Nações Unidas) de compensarmos as viagens internacionais de nossas equipes de futebol para a África do Sul. Nosso compromisso para com o meio ambiente, juntamente com nossa colaboração de longa data com o futebol africano, facilitaram a conclusão de apoiarmos suas iniciativas e com isso esperamos inspirar outros grupos de interesse na Copa do Mundo da FIFA de 2010 a fazerem o mesmo".

A PUMA irá compensar as emissões de CO2 diretas e indiretas da companhia através de projetos de compensação na África, os quais levam em consideração as necessidades das comunidades locais e a conservação da biodiversidade como também os programas de RSC (responsabilidade social corporativa). A carteira de projetos de compensação na África está sendo verificada por uma companhia de auditoria de renome internacional e conforme padrões aceitos internacionalmente, tais como os padrões Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), Padrão de Ouro e o padrão de Redução Voluntária de Emissões. A pegada de carbono total da PUMA é verificada externamente, utilizando-se uma metodologia similar   que foi aplicada na matriz neutra em carbono da companhia.

Devido ao objetivo do programa de longo prazo da PUMA para reduzir seu consumo de energia e água, resíduos e emissões de CO2 em 25% até 2015, a quantidade de emissões de CO2 a ser compensada irá diminuir anualmente. Entretanto, mais do que apenas economizar energia, a PUMA irá exigir que seus escritórios, lojas e depósitos locais passem a usar eletricidade de fontes renováveis onde for viável - em linha com sua Matriz PUMAVision, na Alemanha, desta forma reduzindo significativamente a pegada de carbono do edifício. Para compensar as remanescentes emissões de CO2 da matriz, a PUMA apoia ativamente uma fazenda eólica na Turquia como um de seus projetos de compensação. Desta forma, a Matriz PUMAVision se tornou a primeira matriz neutra em carbono de uma companhia da indústria de estilo de vida esportivo e materiais esportivos.

A PUMA começou a incorporar profundamente seu programa de sustentabilidade de longo prazo nas operações da companhia e no ciclo do produto, tornando-o uma parte integral do DNA da PUMA. Sendo o futebol um dos principais negócios da companhia de estilo de vida esportivo, foi natural a PUMA atender   solicitação do Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP) de que todas as Federações de Futebol que participarão da Copa do Mundo da FIFA de 2010 na África do Sul compensem as viagens internacionais de suas equipes de futebol, Portanto, a PUMA irá compensar a pegada de carbono de suas equipes de futebol - um total de 336 jogadores e dirigentes. As equipes da PUMA que se classificaram para a Copa do Mundo incluem: Argélia, Camarões, Costa do Marfim, Gana, Itália, Suécia e Uruguai. Para destacar ainda mais a importância da 'chamada para a ação' do UNEP, a PUMA decidiu dar um passo a mais e compensar também todas as viagens locais e acomodações.

A PUMA vem coletando E-KPIs (Indicadores Chave de Desempenho Ambiental) de todos seus escritórios, depósitos e lojas em todo o mundo, durante os últimos cinco anos, para determinar sua pegada de carbono total anualmente. As emissões globais da PUMA são classificadas de acordo com o Protocolo de Gases de Efeito Estufa, incluindo emissões diretas geradas através de gás, combustível e frotas de carros, bem como emissões indiretas geradas através de eletricidade e vapor dos escritórios, lojas e depósitos e ainda outras emissões indiretas derivadas das viagens de negócios. A compensação de carbono da PUMA não inclui as emissões de CO2 a partir do transporte dos produtos PUMA. Entretanto, a PUMA solicita que suas parceiras de negócios iniciem a redução de suas próprias pegadas de CO2.

Adicionalmente, a PUMA irá apoiar a compensação da pegada de carbono de seus funcionários, através do subsídio daquelas emissões geradas no caminho de ida e volta do trabalho em 50%. O Presidente da PUMA Jochen Zeitz irá também compensar sua pegada pessoal de carbono, incluindo emissões diretas e indiretas de CO2,  s suas próprias custas.

Informações adicionais sobre o programa de sustentabilidade e iniciativas atuais da PUMA são encontradas no relatório de sustentabilidade da PUMA. http://ir2.flife.de/data/puma_csr/igb_html/index.php?bericht_id=1000001 .

Notas aos Editores:
Muitas emissões de carbono [descritas acima] não fazem parte do Protocolo de Kyoto e por isso as ações da PUMA são inteiramente voluntárias. A compensação de carbono da PUMA não inclui as emissões de carbono através do transporte e fabricação dos produtos PUMA.

FONTE PUMA
22/04/2010
CONTATO: Ulf Santjer - Comunicações Corporativas, PUMA AG, + 49 9132 81 2489 - ulf.santjer@puma.com ou Kerstin Neuber - Comunicações Corporativas - PUMA AG - +49 9132 81 2984, kerstin.neuber@puma.com

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host