UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/05/2010 - 10h03

GSMA anuncia sete novos ganhadores de subvenções do Programa 'Mobile Money for the Unbanked'

RIO DE JANEIRO, 25 de maio /PRNewswire/ -- A GSMA divulgou detalhes sobre outros sete ganhadores de subvenções do Fundo "Mobile Money for the Unbanked" (MMU), administrado pela GSMA Foundation, Inc. com fundos da Fundação Bill e Melinda Gates. Os novos concessionários são a Cellcard, no Cambodja; Digicel, em Fiji; Orange, na África Ocidental; Safaricom, no Quênia; Tata Indicom, na Índia; Telenor, no Paquistão; e Tigo, na África. "Temos orgulho de anunciar que depois de apenas 15 meses do anúncio do Programa "Mobile Money for the Unbanked" todos os fundos já estão comprometidos e vão ser usados em suporte a implementações de projetos de operações bancárias pelo celular em todo o mundo", disse Gavin Krugel, diretor da GSMA. "Os projetos foram escolhidos de acordo com sua capacidade de entrega, velocidade de entrega, escala e sofisticação. Entre agora e até o fim de 2011, milhões de consumidores deverão se beneficiar diretamente dos serviços de operações financeiras pelo celular que foram criados com o apoio do Fundo -- ou seja, 170 milhões de clientes na base da pirâmide econômica que antes não tinham acesso a serviços financeiros -- e que serão fornecidos por 19 operadoras na América Latina, África e Ásia".

Novos concessionários: O Cambodja tem mais de 14,5 milhões de habitantes, sendo que 22% deles vivem em áreas urbanas, porém menos de 4% da população possui conta bancária. Além disso, a maioria dos pagamentos de folha de pagamentos são feitos em dinheiro, e por isso a Cellcard vai fornecer serviços financeiros bastante necessários, como transferência de dinheiro, pagamento de contas e recarga de tempo de utilização para trabalhadores migrantes que precisam enviar dinheiro para suas famílias em áreas rurais. O objetivo da subvenção para a Digicel Fiji é fornecer apoio para o lançamento de um produto de carteira de baixo custo em celulares, o qual permitirá que a população de Fiji tenha acesso melhor e mais fácil a transações comerciais e o qual poderá ser fornecido por meio da atual rede de distribuição da Digicel. O piloto vai começar com serviços de remessa, pagamento de contas e recarga de tempo de utilização, e será depois ampliado para serviços financeiros globais, após a implementação comercial. Menos de 4% da população da África Ocidental (Costa do Marfim, Senegal e Mali) possui contas bancárias, porém mais de um terço possui um telefone celular, e este número está crescendo a uma taxa de 30% ao ano. A Orange está analisando as necessidades dos clientes em cada mercado para expandir os atuais serviços de operações financeiras pelo celular (Orange Money já está disponível no Senegal, Costa do Marfim, Mali e Madagascar), com a introdução de serviços financeiros mais avançados. A Safaricom está usando M-PESA, uma das plataformas de operações financeiras pelo celular de maior sucesso no mundo, para facilitar os pagamentos de transferência de serviços sociais de organizações não-governamentais (ONGs) e do governo do Quênia para domicílios vulneráveis em assentamentos informais em Nairóbi. A Tata Teleservices está trabalhando com seu parceiro de tecnologia, a mChek, para alcançar os clientes de microfinanças na Índia rural e principalmente a grande quantidade de trabalhadores diários, autônomos e do setor agrícola. Existem mais de 550 milhões de conexões de celulares na Índia, com um crescimento de 49% ano a ano, e as pesquisas indicam que existem mais de 91 milhões de domicílios atualmente excluídos financeiramente. A pesquisa da mCheck mostrou uma clara necessidade de serviços de transferência de dinheiro e gestão de caixa entre os clientes que não são atualmente atendidos pelos serviços bancários tradicionais. A Easypaisa é um serviço de operações financeiras pelo celular oferecido, com sucesso, pela Telenor Pakistan, que fornece serviços financeiros para a população que não po ssui conta bancária no Paquistão. Com a subvenção do Fundo MMU, a Telenor Pakistan está trabalhando para criar um produto sofisticado de poupança/seguro que pode ser oferecido como acréscimo   plataforma Easypaisa. Por último, a Tigo está testando canais de distribuição inovadores para uma nova plataforma de operações financeiras pelo celular em um dos seus mercados na África. Dados atualizados sobre os avanços dos concessionários: Através das subvenções do Fundo MMU, 11 projetos já começaram a oferecer serviços inovadores e estão criando a nova geração de serviços que serão oferecidos nas plataformas de operações financeiras pelo celular, inclusive pagamentos de transferência social, microsseguro e microfinanças, incluindo produtos de poupança. Durante o ano passado, vários concessionários já fizeram uma diferença para os seus clientes, entre eles: -- A Grameenphone de Bangladesh está trabalhando para aprimorar sua oferta de serviço de operações financeiras pelo celular (que se restringiam a pagamento de contas), oferecendo, por exemplo, um serviço de compras de passagens por celular para as Ferrovias de Bangladesh. -- A Dialog está expandindo sua oferta de operações financeiras pelo celular para as províncias do norte do Sri Lank, as quais, até o acordo do ano passado, eram locais devastados pela guerra -- A MTN Uganda designou centenas de representantes de inscrição no campo para informar os usuários sobre as operações financeiras pelo celular e inscrevê-los no local, uma estratégia que gerou até agora 750.000 inscrições. -- A M-Paisa da Roshan criou módulos de treinamento e forneceu cursos para representantes sobre como inscrever e atender clientes para a M-Paisa; fez também uma campanha publicitária de grande escala para informar os clientes sobre o serviço da M-Paisa -- No seu Projeto de Ativação na Ilha, a SMART está ampliando o alcance do SMART Money para ilhas remotas que possuem acesso limitado a serviços financeiros e não são áreas de prioridade para as instituições financeiras tradicionais por meio de uma parceria com instituições de microfinanças e cooperativas -- A Vodacom Tanzania tem um projeto piloto de abordagem inovadora para o problema comum de liquidez de representantes: a extensão de crédito aos representantes principais. O MMU trabalha com operadoras de celulares, bancos, instituições de microfinanças, órgãos do governo e de desenvolvimento, para encorajar a expansão de serviços financeiros acessíveis e confiáveis para as populações que não possuem contas bancárias. O Fundo MMU existe para agilizar a implementação de operações financeiras pelo celular direcionadas aos clientes da base da pirâmide que não possuem conta bancária. Apesar de o total das quantias originais do Fundo MMU já ter sido distribuído, a MMU ainda está aceitando pedidos de operadoras em todo o mundo para iniciativas que sejam excepcionais em termos de escala e sofisticação. Sobre a GSMA A GSMA representa os interesses do setor mundial de comunicações móveis. Abrangendo 219 países, a GSMA reúne quase 800 operadoras de telefonia móvel do mundo, assim como mais de 200 companhias no ecossistema móvel mais amplo, inclusive fabricantes de aparelhos portáteis, companhias de software, fornecedores de equipamentos, companhias de Internet e organizações de mídia e entretenimento. A GSMA tem como foco a inovação, incubação e criação de novas oportunidades para seus membros, tendo sempre como objetivo promover o crescimento do setor das comunicações móveis. Para maiores informações, visite Mobile World Live, o novo portal on-line para o setor de comunicações móveis, no endereço http://www.mobileworldlive.com ou o web site corporativo da GSMA, no endereço http://www.gsmworld.com o http://www.mmublog.org .

FONTE GSMA 25/05/2010 CONTATO: Daniel Lowther: +44-7747-636-687, press@gsm.org
Hospedagem: UOL Host