UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/06/2010 - 16h25

Cães velhos agora podem aprender novos truques

LONDRES, 1º de junho de 2010/PRNewswire/ -- Cientistas identificaram uma série de nutrientes que fortalecem a memória, a capacidade de aprendizagem e a habilidade de se adaptar a novas situações de cães idosos de estimação. Os seis milhões de britânicos que têm cachorro se beneficiarão do composto antienvelhecimento que promete melhorar a atividade cerebral dos cães mais velhos.
Os pesquisadores descobriram que cães com mais de sete anos de idade sofrem uma queda no número de células cerebrais porque perdem a capacidade de usar a glicose que aumenta a energia, com a mesma eficiência de quando eram jovens. Isso afeta seu funcionamento diário, levando a pequenas mudanças de comportamento: os cães ficam mais lentos e menos alertas, por exemplo.
Devido aos avanços da medicina, nutrição e prevenção de doenças veterinárias, os cães vivem cerca de metade da vida na terceira idade. Isso significa que, como ocorre com a população humana, o número de cães idosos está aumentando, e estima-se que hoje 29% dos cães sejam idosos. Considera-se que os cães envelheçam sete anos a cada ano humano.
Fonte: Purina PetCare
Hospedagem: UOL Host