UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

13/08/2010 - 12h50

Feira de jatos executivos em São Paulo tem modelo de até US$ 45 milhões

Matheus Lombardi
em São Paulo

Veja álbum de fotos com os principais destaques da feira de aviões Labace 2010

Aviões com chuveiros, telefones via satélite e decorados com móveis de madeiras nobres ao preço de até US$ 45 milhões. Este é o universo dos jatos executivos de luxo que estão expostos na Labace 2010 (Latin American Business Aviation Conference and Exhibition), em São Paulo.

De acordo com os organizadores, a feira deverá movimentar US$ 500 milhões em apenas três dias, um crescimento  de mais de 40% em relação ao ano passado.

Nos últimos anos, o crescimento médio da aviação executiva em todo mundo tem sido de 8% para aviões e de 14% para helicópteros.

“É o evento mais importante da América Latina. As maiores empresas do mundo estão aqui, trazendo algumas das suas melhores aeronaves”, diz o presidente da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), Francisco Lyra.

A feira tem jatos executivos e helicópteros. Alguns modelos chegam a custar US$ 45 milhões, como é o caso do jato Falcon 7X, fabricado pela francesa Dassault.

A cabine do avião possui dois banheiros, incluindo chuveiros, sendo um exclusivo para os passageiros e outro para a tripulação. Além disso, a cabine do Falcon 7X possui telefone via satélite, internet, fax e sistema multimídia para assistir filmes em alta resolução.

O avião global 5000, da Bombardier, custa US$ 35 milhões. Entre os opcionais a empresa oferece a instalação de chuveiros.

A brasileira Embraer exibe pela primeira vez ao público o jato executivo Legacy 650. A aeronave voa até 7.223 km sem escalas e custa cerca US$ 29,5 milhões.

“Com essa aeronave é possível ir de São Paulo a Miami sem escalas. É uma rota muito cobiçada no Brasil. No exterior, a aeronave consegue voar sem escalas de Londres a Dubai, por exemplo”, declara o vice-presidente executivo para o mercado de aviação executiva da Embraer, Luis Carlos Affonso.

Outro destaque da Embraer na feira são os modelos Phenon 100 (US$ 3,9 milhões) e Phenon 300 (US$ US$ 8 milhões). O Phenon 100 é o jato com o maior número de unidades em operação no país.

“É um sucesso de vendas. Já temos diversos pedidos para serem entregues e esperamos fechar mais alguns negócios aqui na feira”, afirma o diretor de inteligência de mercado para aviação executiva da Embraer, Cláudio Camelier.

Modelos mais baratos, como o helicóptero A600 para duas pessoas, da Rotorway, custa US$ 200 mil. Ele é quase o dobro do tamanho de um carro (7m de comprimento), e pode chegar a 160 km/h.

Os visitantes da feira, na maioria homens, formavam filas para entrar nos aviões. O estudante universitário Lucas Fernandes gostou do conforto, mas se assustou com o preço das aeronaves.

“Infelizmente não posso ter um desses. Dá um pouco de inveja ver todo esse luxo e só poder olhar. O avião em que eu ando tem poltrona apertada e às vezes atrasa”, diz.

Já o engenheiro Cláudio Paiva, aproveitou a folga no trabalho para levar o filho Pedro, de 9 anos, para ver de perto os jatos.

“Tenho uma paixão por aviões. Agora, estou tentando passar isso para o meu filho. Quem sabe ele não se torna um piloto?”, diz.

No Brasil

O país tem hoje a segunda frota mundial de aviação geral (inclui todos os tipos de aeronaves), mais de 12 mil, e São Paulo detém a segunda maior frota de helicópteros do mundo (cerca de 500), perdendo apenas para Nova York.

De acordo com a Abag, as companhias aéreas comerciais atendem 130 dos 5.564 municípios brasileiros.

Serviço

O evento começou na quinta-feira (12) e vai até este sábado (14), no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Os ingressos custam R$ 90 e valem para os três dias, mas não dão direito às palestras ou seminários (abertos só para convidados ou especialistas da área). O horário de funcionamento na sexta-feira é das 12h às 21h, e no sábado das 9h às 18h.

Hospedagem: UOL Host