UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

18/09/2006 - 07h45

Semana recheada inclui reunião do Fed na 4a-feira

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 18 de setembro (Reuters) - O foco da semana é mais um vez os Estados Unidos, com um dos eventos mais importantes para o mercado financeiro: a primeira reunião do Federal Reserve depois da manutenção do juro, marcada para quarta-feira.

Não há muitas dúvidas de que o Fed irá manter a taxa em 5,25 por cento ao ano novamente, mas o comunicado divulgado após a decisão pode dar sinais sobre os próximos passos do banco central norte-americano.

"O que os participantes de mercado estarão olhando é o comunicado, para qualquer indício de equilíbrio nas preocupações sobre desaceleração da economia e alta da inflação, especialmente depois dos recentes comentários públicos de diversos membros do Fed que indicaram mais firmeza com a inflação", afirmou Steven Wood, economista-chefe da Insight Economics em Danville, Califórnia.

Uma série de integrantes do Fed demonstrou recentemente desconforto com a inflação, embora alguns também tenham dito que os preços devem recuar com a moderação da economia.

Alguns dados podem agitar o mercado antes da reunião do Fed. Na terça-feira, saem o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) e o relatório de início de construção de moradias e alvarás.

"O risco é de que o 'pouso forçado' que esperamos para o mercado imobiliário e para a indústria de bens duráveis passe para a economia", disse Brian Fabbri, economista-chefe para Estados Unidos no BNP Paribas, em Nova York.

A semana começa com a divulgação do déficit em conta corrente dos EUA e dados de fluxo de capital, nesta segunda-feira.

No Brasil, há também a expectativa de investidores sobre uma resposta da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) à apelação da Mittal Steel sobre a necessidade de realizar oferta pública pelas ações da Arcelor Brasil <ARCE3.SA>, embora a autarquia não tenha dado um prazo para seu parecer.

E como o seguro morreu de velho, atenção também para eventuais notícias envolvendo Telemar <TNLP4.SA>, já que tem exercício de opções nesta segunda-feira e as ações mostraram intensa volatilidade nas últimas sessões.

Para ler a agenda do dia, clique [nN15433083]

Veja como encerraram os principais mercados na sexta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,153 reais, com baixa de 0,51 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 1,58 bilhão de dólares, quase a metade da cifra de 2,99 bilhões de dólares na véspera. A queda acumulada na semana foi de 0,28 por cento.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou com variação positiva de 0,05 por cento, a 36.169 pontos. O volume financeiro foi de 1,722 bilhão de reais, ante média diária no ano de 2,33 bilhões de reais. Na semana, o índice acumulou baixa de 1,06 por cento.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros teve oscilação positiva de 0,08 por cento, a 18.735 pontos. Os principais destaques ficaram com CPFL Energia <CPL.N>, com avanço de 1,81 por cento, e Itaú <ITU.N>, em alta de 1,37 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) recuaram na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2007 caiu de 13,85 para 13,82 por cento. O DI janeiro de 2008 passou de 13,70 a 13,62 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subiu para 129,813 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 6,531 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil recuava 5 pontos, para 218 pontos-básicos. O EMBI+ cedia 2 pontos, a 192 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía discretamente e o rendimento subia a 4,795 por cento, ante 4,79 por cento no final da quinta-feira.

(Com reportagem adicional de Nathália Ferreira em São Paulo e Chris Reese em Nova York)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host