UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

26/09/2006 - 18h02

PANORAMA2-Ativos se recuperam, com menos incômodo aqui e lá fora

Por Nathália Ferreira

SÃO PAULO, 26 de setembro (Reuters) - Os ativos brasileiros ganharam terreno nesta terça-feira, com as turbulências políticas incomodando menos, apesar da proximidade das eleições no domingo, e o cenário internacional se mostrando mais favorável aos emergentes.

O dólar caiu mais de um por cento e fechou abaixo de 2,20 reais, depois de acumular alta superior a 3 por cento nos últimos dias. A Bolsa de Valores de São Paulo cravou o segundo dia de recuperação, ao subir quase 2,5 por cento.

"O cenário político, que preocupa por causa de possíveis desdobramentos (no caso do "dossiê Serra") trazendo dificuldades para o governo Lula em articular reformas e conseguir apoios, estava mais turbulento até sexta", afirmou Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK Corretora.

Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta manhã mostrou que o presidente-candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, ainda deve sair vitorioso no primeiro turno, em 1o de outubro.

As bolsas norte-americanas subiram nesta terça-feira, com o índice Dow Jones <.DJI> fechando no segundo maior nível da história. O risco-país recuou e os títulos da dívida brasileira tiveram desempenho positivo.

Os exportadores seguiram firmes na ponta de venda do câmbio, aproveitando a alta do dólar nas últimas sessões.

A Bovespa ganhou impulso com os papéis da Telemar <TNLP3.SA> e da Arcelor Brasil <ARCE3.SA>. As ações ordinárias da primeira subiram depois de parecer da Comissão de Valores Mobiliários esclarecendo dúvidas sobre a realização de assembléia para votação da proposta de reestruturação.

Arcelor Brasil se destacou na alta depois que a CVM determinou a realização de oferta pública de aquisição de ações da Arcelor Brasil pela Mittal.

Veja como encerraram os principais mercados nesta terça-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,193 reais, com queda de 1,22 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 1,90 bilhão de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em alta de 2,42 por cento, a 35.818 pontos. O volume financeiro foi de 2,455 bilhões de reais. As ações ordinárias da Telemar subiram 6,49 por cento, enquanto os papéis da Arcelor avançaram 7,12 por cento.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros subiu 2,69 por cento, a 18.294 pontos. Os principais destaques ficaram com Telemar <TNE.N>, em alta de 6,02 por cento, e Brasil Telecom <BRP.N>, que subiu 5,33 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) recuaram na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2007 passou de 13,77 para 13,76 por cento. O DI janeiro de 2008 cedeu de 13,73 para 13,64 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 129,813 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 6,523 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil recuava 8 pontos, para 243 pontos-básicos. O EMBI+ cedia 6 pontos, a 212 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caiu e o rendimento subiu a 4,586 por cento, ante 4,54 por cento no final da segunda-feira.

(Com reportagem adicional de Juliana Siqueira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host