UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

31/01/2007 - 18h37

PANORAMA2-Fed mantém juro como esperado e garante alta de bolsas

Por Nathália Ferreira

SÃO PAULO, 31 de janeiro (Reuters) - O Federal Reserve deixou o juro norte-americano inalterado na quarta-feira, ampliando a chance de um corte no ano ao indicar que os riscos inflacionários devem diminuir. A perspectiva impulsionou o mercado acionário e fez a Bolsa de Valores de São Paulo subir mais de 1 por cento.

O mercado de câmbio fechou antes do anúncio do Fed e o dólar terminou janeiro no menor nível desde setembro de 2006, a 2,124 reais.

No comunicado divulgado junto com a decisão de deixar o juro em 5,25 por cento, o Fed disse notar sinais de estabilidade no mercado imobiliário e que dados recentes sugerem crescimento econômico mais firme.

Dados desta manhã mostraram que a economia dos EUA cresceu 3,5 por cento no quarto trimestre, ante previsão de expansão de 3,0 por cento.

Logo após a divulgação do Fed, as bolsas de valores em Wall Street ampliaram a alta, os preços de Treasuries subiram e os juros futuros aumentaram a chance de um corte da taxa básica até o fim do ano.

"Se o Fed está menos impacientes com a inflação, então qualquer temor de um aumento no juro fica basicamente descartado", disse Sam Rahman, gerente de portfólio do Baring Asset Management, em Boston.

A Bovespa também acentuou os ganhos perto do fechamento. Entre os destaques do pregão, as ações da Companhia Siderúrgica Nacional <CSNA3.SA> dispararam 6,05 por cento. A empresa perdeu a batalha pela compra da Corus, depois que a indiana Tata Steel fez oferta de 12 bilhões de dólares no leilão para aquisição da anglo-holandesa.

"Embora tenha perdido a batalha, a CSN ganhou 100 milhões de dólares por ter participado e 450 milhões em ações da Corus... ganhou isso sem fazer muita força", comentou Júnior Hydalgo, assessor financeiro da corretora Cruzeiro do Sul.

No câmbio, a movimentação de tesourarias vendidas em dólar para derrubar a Ptax (taxa média), que servirá de base para liquidação dos contratos futuros, fez a moeda norte-americana cair ao menor nível em quatro meses.

Ainda assim, analistas ressaltaram que os leilões diários de compra de dólares do Banco Central têm segurado o ritmo de queda da moeda norte-americana.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quarta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,124 reais, com queda de 0,33 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 4,58 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou com alta de 1,36 por cento, a 44.641 pontos. O volume financeiro foi de 3,76 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros estava em alta de 1,90 por cento perto do fechamento, aos 22.636 pontos. O destaque foi a Companhia Siderúrgica Nacional <SID.N>, que subia 7,2 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria de contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em queda na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 caiu para 12,36 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 registrou queda para 12,26 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, avançava para 131,625 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 6,176 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil se mantinha em 190 pontos-básicos. O EMBI+ estava em alta de 1 ponto-básico.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento recuava para 4,83 por cento, ante 4,88 por cento na véspera.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host