UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

23/02/2007 - 08h18

PANORAMA1-Contas externas são destaque em dia de agenda vazia

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 23 de fevereiro (Reuters) - A agenda de indicadores da última sexta-feira de fevereiro não é expressiva, o que abre espaço para que o resultado das contas externas brasileiras em janeiro, que será divulgado pelo Banco Central nesta manhã, ganhe destaque.

A terceira leitura do IPC-S em fevereiro, divulgada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira, mostrou que mais uma desaceleração, o que reforça o cenário positivo sobre o comportamento dos preços no país.

Lá fora, o índice de confiança do empresariado alemão caiu um pouco mais do que o esperado em fevereiro, mas o dado não foi suficiente para influenciar os negócios na Europa.

O mercado segue acompanhando os ativos, para ver se ampliam seus recordes, e também as reservas internacionais, que estão prestes a bater a marca dos 100 bilhões de dólares, à medida que o BC continua promovendo leilões de compra da divisa norte-americana.

Investidores aguardam agora os dados que serão divulgados na próxima semana, entre eles o Produto Interno Bruto do país do quarto trimestre de 2006 e o IPCA de janeiro, que ajudarão a balizar as apostas sobre os próximos passos do Comite de Política Monetária (Copom) do BC em relação ao juro básico do país.

Na véspera, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse à Reuters que o crescimento da economia brasileira vai gerar críticas ao presidente do BC, seja qual for a taxa.

Nos Estados Unidos, a agenda da próxima semana também conta com PIB, além de um dado de inflação bastante acompanhado pelo Federal Reserve, o PCE, que ganhará atenção especial em meio às dúvidas do mercado quanto às pressões inflacionárias no país.

Embora não tenha potencial para mexer com ativos, a notícia de que a SEC --órgão regulador do mercado de capitais dos EUA-- fechou acordo com um ex-diretor da Sadia <SDIA4.SA> e um ex-funcionário do ABN Amro Real para o pagamento de multa pelo uso de informação privilegiada em negociações envolvendo ações da Perdigão <PGR3.SA>, quando a Sadia fez uma oferta hostil à sua concorrente, deve receber atenção. Isso porque a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) disse que ainda investiga o caso e mais pessoas podem estar envolvidas.

Para ler a agenda do dia, clique [nN22302364]

Veja como encerraram os principais mercados na quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,083 reais, com alta de 0,24 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 3,61 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em alta de 0,79 por cento, a 46.452 pontos. O volume financeiro foi de 3,3 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros subiu 0,27 por cento, para 23.426 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria de contratos de depósito interfinanceiro (DI) caiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 subiu para 12,07 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 declinou para 11,76 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, cedia para 133,625 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,899 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil recuava 3 pontos, para 176 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 165 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento subia a 4,73 por cento, ante 4,69 por cento no final da quarta-feira.

(Reportagem adicional de Nathália Ferreria)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host