UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/03/2007 - 19h20

Dia começa turbulento, mas termina com calma e cautela

Por Nathália Ferreira

SÃO PAULO, 1o de março (Reuters) - Tudo indicava que seria um começo de mês turbulento nesta quinta-feira mas, no fim do dia, prevaleceu uma certa calmaria nos mercados financeiros, ainda que a apreensão permaneça.

Depois de cair 4,2 por cento logo na abertura do pregão, a Bolsa de Valores de São Paulo desacelerou a queda e fechou com desvalorização de apenas 0,86 por cento. O dólar chegou a subir 0,99 por cento na máxima, e terminou em ligeira baixa.

A deterioração da manhã seguiu a queda de quase 3 por cento na bolsa de Xangai <.SSEC> e o fortalecimento do iene frente ao dólar, que provocou um desmonte de carry trades --operações em que o investidor se financia em moeda de baixo retorno, como a japonesa, para investir em ativos de alto rendimento, como moedas de emergentes.

Dados dos EUA no começo do dia também assustaram, com aumento além do previsto nos pedidos de auxílio-desemprego e no núcleo do índice de preços PCE. Mas números melhores que o esperado sobre o setor manufatureiro norte-americano mostraram que o cenário ainda não é tão temeroso.

"Isso acabou sendo o contraponto para todo o nervosismo gerado com a queda de Xangai", disse Hélio Ozaki, gerente de câmbio do Banco Rendimento.

"O índice acabou relaxando bem os agentes, a própria bolsa dos EUA acabou reduzindo as perdas, acabou repercutindo no mercado", completou.

As bolsas de valores norte-americanas terminaram o dia com ligeira queda, ajudadas também pelo bom resultado de vendas da General Motors <GM.N> em fevereiro. Na Europa, as ações fecharam com queda mais contida, depois de terem recuado ao menor nível em dois meses e meio durante o pregão.

Os investidores respiraram melhor no fim do dia, mas ainda aguardam os próximos dados para avaliar o ritmo de desaquecimento econômico dos EUA, lembraram analistas.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,119 reais, com queda de 0,09 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 3,75 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em baixa de 0,86 por cento, a 43.516 pontos. O volume financeiro foi de 4,09 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros caiu 0,62 por cento, aos 21.661 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria de contratos de depósito interfinanceiro (DI) subiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 subiu a 12,16 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 avançou para 12,05 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, recuava para 133,313 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,929 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil estava em 195 pontos-básicos, enquanto o EMBI+ estava em 186 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento cedia a 4,55 por cento, ante 4,58 por cento no final da quarta-feira.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira e Silvio Cascione)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host