UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/03/2007 - 15h46

SEC abre processo de informação privilegiada

NOVA YORK, 1o de março (Reuters) - Promotores dos Estados Unidos acusaram nesta quinta-feira 13 pessoas, incluindo um executivo de pesquisa do UBS Securities <UBSN.VX> e um advogado do Morgan Stanley <MS.N>, em um esquema de informação privilegiada que o governo argumenta que envolveu milhões de dólares em lucro ilegal.

O órgão regulador do mercado de capitais norte-americano, a Securities and Exchange Commission (SEC), fez acusações separadas em uma ação judicial civil.

A SEC afirmou que o grupo de "insiders" de Wall Street usou encontros clandestinos, celulares descartáveis, códigos secretos e comissões em dinheiro para guardar segredo sobre sua conduta, que envolveu negócios antes de mudanças de recomendação por analistas da área de pesquisa do UBS e de anúncios de aquisições corporativas por clientes do Morgan Stanley.

Segundo um comunicado da equipe de mídia do gabinete da Promotoria dos Estados Unidos que informava sobre o caso, 13 pessoas enfrentam acusações criminais em conexão com o suposto esquema. De acordo com os promotores, o caso rendeu mais de 8 milhões de dólares em lucros ilegais.

Quatro pessoas envolvidas foram presas mais cedo esta semana, informou uma autoridade próxima ao assunto.

Outras oito foram presas nesta quinta-feira, enquanto o status da nona era incerto, afirmou a fonte. Eles devem ser levados para audiência com um juiz federal na quinta-feira.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host