UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

02/03/2007 - 18h33

Bolsa fecha em queda de 2,64%; dólar sobe a R$ 2,132

SÃO PAULO, 2 de março (Reuters) - A sexta-feira encerrou uma semana tensa com mais um dia de turbulência nos mercados financeiros. O temor de uma recessão nos Estados Unidos e a valorização do iene fizeram os investidores reduzirem sua exposição a ativos de risco.

A Bolsa de Valores de São Paulo terminou o pregão com queda de 2,64%, e acumulou na semana desvalorização de mais de 7%. O dólar subiu 0,61% no dia e 2% na semana.

O risco-país voltou ao patamar de 200 pontos-básicos, as ações européias tiveram a maior queda semanal desde setembro de 2001, de 5%, e as bolsas em Wall Street também amargaram o maior declínio em mais de quatro anos.

Os vilões desta sexta-feira foram os mesmos: receio de um desaquecimento muito forte da economia norte-americana, expectativa sobre medidas do governo da China, a subida do iene ante o dólar e problemas no setor de empréstimos imobiliários "subprime" dos EUA.

A valorização da moeda japonesa provocou um desmonte de operações carry trade (quando o investidor se financia em moeda com baixo custo para aplicar em ativos de alto rendimento) e fez os mercados se questionarem sobre lucratividade e o risco dessas arbitragens.

"É lá fora. (O mercado está) olhando o cenário externo. Muita gente já está trabalhando com (a possibilidade de a Bovespa) ir a 38 mil, 40 mil pontos, no curto prazo", comentou Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros.

O alerta da possibilidade de recessão nos EUA veio primeiro do ex-chairman do Federal Reserve Alan Greenspan na segunda-feira. Durante a semana, dados como o forte declínio nas encomendas de bens duráveis aumentaram o temor.

Membros do Fed, incluindo o chairman, Ben Bernanke, tentaram aliviar os temores, afirmando que a maior economia mundial crescerá de forma moderada.

Veja como encerraram os principais mercados nesta sexta-feira:

Câmbio
O dólar terminou a R$ 2,132, com alta de 0,61%. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em US$ 2,56 bilhões.

Bolsa
A Bovespa encerrou em queda de 2,64%, a 42.369 pontos. O volume financeiro foi de R$ 4,48 bilhões.

ADRs brasileiros
O índice de principais ADRs brasileiros recuaram 2,72%, a 20.962 pontos.

Juros
Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) mais curtos caíram e os mais longos subiram na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 recuou a 12,11%, enquanto o DI janeiro de 2009 ficou subiu a 12,09%.

Global 40
O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 133,125% do valor de face no fim da tarde, oferecendo rendimento de 5,95% ao ano.

Risco-país
No final da tarde, o risco Brasil subia oito pontos, para 203 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 193 pontos-básicos.

Treasuries de dez anos
O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de dez anos, referência do mercado, avançava e o rendimento cedia a 4,51%, ante 4,55% no final da quinta-feira.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira e Silvio Cascione)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host