UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

12/03/2007 - 17h53

Dólar anula alta gerada por turbulências, Bovespa sobe

Por Nathália Ferreira

SÃO PAULO, 12 de março (Reuters) - O otimismo com o cenário doméstico, mesmo em um dia morno de negócios, fez o dólar registrar a quinta sessão seguida de baixa nesta segunda-feira.

Com o fechamento a 2,088 reais, a moeda norte-americana apagou toda a alta acumulada com a recente turbulência global. A Bolsa de Valores de São Paulo acompanhou de perto a movimentação em Wall Street, começou o dia em baixa e encerrou com ligeira alta.

Mas a preocupação dos investidores, principalmente nos Estados Unidos, ainda não se dissipou totalmente e o temor com o setor de empréstimos imobiliários subprime, de maior risco, acabou ofuscando notícias de fusões e aquisições.

A New Century Financial <NEW.N>, maior concessora independente de crédito subprime dos EUA, afirmou que os concessores de empréstimo planejam interromper os financiamentos. A negociação com as ações da empresa foram suspensas e o conselho da Bolsa de Valores de Nova York estuda retirá-las ou mantê-las sob revisão.

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), investidores reduziram os negócios com contratos de depósito interfinanceiro (DI) e as projeções de juros caíram.

O cenário doméstico segue positivo, lembraram analistas, com o mercado colocando a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2007 em 3,87 por cento, segundo relatório semanal do Banco Central. Para a Selic, a aposta é de mais um corte de 0,25 ponto percentual em abril.

"O viés está muito a favor (do mercado brasileiro)", resumiu Marcelo Voss, economista-chefe da corretora Liquidez.

O economista acredita, no entanto, que o dólar deve ter dificuldade para cair abaixo de 2,08 reais, especialmente com a atuação contínua do Banco Central. Na sexta-feira, as reservas internacionais somavam 104,8 bilhões de dólares.

Veja como encerraram os principais mercados nesta segunda-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,088 reais, em baixa de 0,52 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 2,9 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em alta de 0,26 por cento, a 44.249 pontos. O volume financeiro foi de 2,94 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros avançou 0,79 por cento, aos 22.265 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) encerrou em baixa na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 recuou para 12,01 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 caiu a 11,77 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 133,875 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,85 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil mostrava estabilidade, a 190 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 180 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento recuava para 4,56 por cento, ante 4,59 por cento no final da sexta-feira-feira.

(Com reportagem de Juliana Siqueira e Silvio Cascione)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host