UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

13/03/2007 - 17h41

Bancos são golpeados em Wall Street por temores sobre hipotecas

NOVA YORK, 13 de março (Reuters) - Preocupações sobre execuções hipotecárias golpearam os gigantes de Wall Street nesta terça-feira --da Bear Sterns ao JP Morgan Chase--, com o desprezo dos investidores por comentários de analistas de que os temores são superestimados.

A questão agora é o quanto sofrerá o mercado de ações dos Estados Unidos por causa de companhias financeiras que emprestaram dinheiro sem pedir comprovante de renda, sinal ou garantia a pessoas com histórico de crédito ruim, no chamado mercado de crédito subprime.

As execuções hipotecárias dos empréstimos a proprietários de casas aceleraram no quarto trimestre nos Estados Unidos para o ritmo mais rápido desde o início da pesquisa do Associação de Bancos de Financiamento Imobiliário, há 37 anos.

A queda de quase 3 por cento na terça-feira no índice S&P Financials <.GSPF>, que inclui 88 companhias, eliminou aproximadamente 13 bilhões de dólares do patrimônio dos investidores.

A indústria de crédito subprime lubrifica a máquina de Wall Street, pois os bancos de investimentos reúnem todos os tipos de empréstimos em títulos com suporte em pagamentos hipotecários. Os papéis então são vendidos a fundos de pensão e outros investidores institucionais.

Nos últimos 18 meses, praticamente todas as financiadoras imobiliárias afrouxaram as regras para fornecer empréstimos, disse o analista Kenneth Posner em nota.

No ano passado, o Bear Sterns <BSC.N> cortou os papéis originados do mercado subprime à metade, mas as ações da empresa tombaram 6,3 por cento na Bolsa de Valores de Nova York, liderando uma série de quedas no setor em Wall Street.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host