UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

15/03/2007 - 08h15

PANORAMA1-Inflação dos EUA e ata do Copom lideram agenda cheia

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 15 de março (Reuters) - Se a volatilidade da véspera já foi grande com uma agenda fraca, a quinta-feira tem tudo para ser ainda mais agitada. A inflação no atacado norte-americano e dados de atividade são os destaques nos Estados Unidos, enquanto no Brasil os olhos estarão voltados para a ata do Copom.

Economistas consultados pela Reuters esperam que os preços ao produtor norte-americano tenham avançado 0,5 por cento --recuperando a força depois da queda de 0,6 por cento de janeiro. Já a previsão para o núcleo é que ele tenha subido 0,2 por cento.

Um dado acima do esperado do núcleo da inflação pode levar o mercado a reduzir a aposta em corte do juro norte-americano em algum momento deste ano.

O índice manufatureiro de NY e a pesquisa do Fed Filadélfia também devem ajudar a balizar as expectativas sobre o juro dos Estados Unidos.

No Brasil, o destaque fica por conta da ata da última reunião do Comitê de Polítia Monetária, onde analistas vão buscar sinais sobre até que ponto a turbulência financeira do mercado internacional pode afetar as decisões da autoridade monetária. Na pauta também estão IGP-10 --que subiu 0,38 por cento em março-- e vendas no varejo. Este último que pode dar indicações de como anda a atividade econômica.

Entre as notícias coporativas, a Cosan <CSAN3.SA> divulga resultados no fim do dia e a Companhia Vale do Rio Doce <VALE5.SA> faz café da manhã com analistas. Nos Estados Unidos, o Bear Stearns <BSC.N> anuncia seus resultados.

Enquanto isso, algumas mudanças de ministério já devem acontecer esta semana [ID:nN14310748] e aumentam as especulações para aquelas que ainda não foram anuncinadas.

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, confirmou sua saída do governo nos próximos dias e o nome mais cotado para substituí-lo é o presidente da Embraer, Maurício Botelho [ID:nN14260096].

Mas mesmo com essa agenda recheada, qualquer notícia relacionada ao mercado imobiliário norte-americano tem potencial para injetar volatilidade nos mercados.

"Enquanto acreditamos que o cenário-base para a economia norte-americana continua a ser de crescimento moderado e desaceleração da inflação, é importante reconhecer que os riscos estão aumentando e que estão mais inclinados à redução da atividade", afirmou o Unibanco em relatório divulgado no fim da quarta-feira.

Para ler a agenda do dia, clique [nN14466714]

Veja como encerraram os principais mercados na quarta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,098 reais, com queda de 0,29 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 2,41 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em alta de 1,26 por cento, a 43.288 pontos. O volume financeiro foi de 3,76 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros subiu 1,71 por cento, aos 21.754 pontos. O destaque ficou com a Companhia Siderúrgica Nacional <SID.N>, com ganho de 5,14 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria de contratos de depósito interfinanceiro (DI) caiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 cedeu a 12,02 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 recuou a 11,82 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 133,875 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,843 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil recuava 4 pontos, para 194 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 185 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento subia a 4,537 por cento, ante 4,49 por cento no final da terça-feira.

(Reportagem adicional de Nathália Ferreira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host