UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

15/03/2007 - 18h08

PANORAMA2-Mercados ensaiam recuperação, mas cautela persiste

Por Nathália Ferreira

SÃO PAULO, 15 de março (Reuters) - A Bolsa de Valores de São Paulo fechou estável na quinta-feira e o dólar recuou, enquanto investidores ensaiam uma recuperação dos mercados mas ainda com incertezas sobre a economia norte-americana.

Dados desta manhã mostraram que os preços ao produtor nos Estados Unidos subiram além do previsto e a atividade manufatureira de Nova York diminuiu fortemente em março. Na sexta-feira, os investidores estarão de olho no dado de preços ao consumidor.

"O humor positivo está se reinstalando no comportamento dos mercados, pelo menos até uma eventual sinalização negativa do cenário norte-americano", afirmou Sidnei Moura Nehme, diretor executivo da corretora de câmbio NGO, em relatório.

As bolsas dos EUA terminaram o dia em ligeira alta, ajudadas pelo bom desempenho de ações de bancos que acabaram contrabalançando os temores com o ritmo de desaquecimento da maior economia mundial e problemas no setor de financiamento imobiliário para clientes de alto risco.

Nesta tarde, o ex-chairman do Federal Reserve Alan Greenspan alertou que a crise imobiliária pode se espalhar para outros setores da economia.

Por aqui, o mercado digeriu a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, que não trouxe novidades e, segundo analistas, sinalizou que os próximos cortes no juro deverão ser de 0,25 ponto percential.

No documento, os diretores do BC indicaram que irão se manter vigilantes e que a flexibilização da política monetária continuará a ser conduzida com parcimônia.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,090 reais, com queda de 0,38 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 2,95 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou praticamente estável, com oscilação negativa de 0,02 por cento, a 43.278 pontos. O volume financeiro foi de 3,4 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros subiu 0,22 por cento, aos 21.802 pontos. O destaque ficou com a Companhia Vale do Rio Doce <RIO.N>, em alta de 2,39 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam sem tendência comum na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 subiu a 12,05 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 se manteve em 11,82 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 133,875 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,84 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

O risco Brasil recuava 1 ponto, para 192 pontos-básicos. O EMBI+ caiá a 182 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento caía a 4,535 por cento, ante 4,54 por cento no final da quarta-feira.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host