UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

16/03/2007 - 08h21

Inflação e produção nos EUA podem clarear cenário

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 16 de março (Reuters) - Os dados de inflação e produção industrial que serão divulgados nesta sexta-feira ganham atenção especial dos investidores, dada a incerteza em relação ao futuro da economia norte-americana.

Mesmo que a alta acima do esperado dos preços ao produtor norte-americano (PPI, na sigla em inglês), divulgados na véspera, tenha sido justificada por um aumento nos preços de cigarros e picapes, acaba sendo de certa forma um mau prenúncio para o relatório de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês), que sai esta manhã.

Analistas consultados pela Reuters prevêem avanço de 0,3 por cento para o número cheio e de 0,2 por cento para o núcleo.

"Os operadores estão muito mais interessados no que o relatório do CPI vai mostrar do que o PPI nos mostrou", disse Jane Caron, estrategista-chefe da Dwight Asset Management.

Também importantes serão os dados de produção industrial, que devem mostrar discreto avanço e podem realçar temores de recessão dos Estados Unidos. A produção desacelou em três dos últimos quatro meses, segundo dados do Fed.

Atenção ainda para o relatório de confiança do consumidor, que vai mostrar como o norte-americano está encarando a desaceleração da economia.

Além disso, as notícias sobre os empréstimos de risco maior no segmento de hipoteca (subprime) continuarão a ser acompanhadas de perto, principalmente depois do alerta do ex-chairman do Federal Reserve Alan Greenspan, na véspera.[ID:nN15453615]

No front político, mais três ministros tomam posse e mantêm-se as expectativas sobre a conclusão da reforma ministerial.[ID:nN15156656]

Já na Bovespa, o exercício de opções de segunda-feira pode injetar volatilidade no pregão, enquanto a divulgação do aumento do lucro da Cosan <.CSAN3.SA> pode influenciar o comportamento das ações. [ID:nN15266168]

Para ler a agenda do dia, clique [nN15464187]

Veja como encerraram os principais mercados na quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,090 reais, com queda de 0,38 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 2,95 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou praticamente estável, com oscilação negativa de 0,02 por cento, a 43.278 pontos. O volume financeiro foi de 3,4 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros subiu 0,22 por cento, aos 21.802 pontos. O destaque ficou com a Companhia Vale do Rio Doce <RIO.N>, em alta de 2,39 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam sem tendência comum na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 subiu a 12,05 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 se manteve em 11,82 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 133,875 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,84 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

O risco Brasil recuava 1 ponto, para 192 pontos-básicos. O EMBI+ caiá a 182 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento caía a 4,535 por cento, ante 4,54 por cento no final da quarta-feira.

(Reportagem adicional de Nathália Ferreira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host