UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

19/03/2007 - 16h49

CVM vê forte indício de uso de informação privilegiada sobre Ipiranga

Por Nathália Ferreira

SÃO PAULO (Reuters) - A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) vê "fortes indícios" de uso de informação privilegiada no movimento das ações da Ipiranga na sexta-feira e vai continuar investigando o caso, segundo a superintendente de Relações com Empresas da autarquia, Elizabeth Machado.

Nesta segunda-feira, antes da abertura do mercado, Braskem, Petrobras e Grupo Ultra anunciaram acordo para aquisição dos ativos da Ipiranga, por cerca de US$ 4 bilhões (algo em torno de R$ 8,3 bilhões). Parte das informações, apesar de não formalmente confirmadas, foi veiculada pela imprensa durante o fim de semana.

A CVM pediu esclarecimentos sobre a forte alta das ações e a Ipiranga respondeu à solicitação afirmando que, antes da assinatura do contrato de compra, em 18 de março, os assessores dos acionistas controladores da empresa "mantiveram, em caráter confidencial, negociações com os assessores dos então possíveis compradores".

"Evidentemente que (ainda) não existe um relatório, estamos em fase de investigação, há fortes indícios de utilização de informação privilegiada", disse a superintendente ao ser questionada sobre a fase da investigação.

Ela explicou que o esclarecimento da empresa não encerra o caso porque existem duas situações distintas: "Uma coisa é a responsabilidade do diretor pela informação da divulgação relevante que provavelmente vazou, e outra coisa é a apuração da utilização de informação privilegiada por quem quer que as tenha utilizado", fez questão de frisar.

Na sexta-feira, quando a Bolsa de Valores de São Paulo fechou em queda de 1,27%, as ações da Refinaria de Petróleo Ipiranga subiram 2,6% e as preferenciais da Ipiranga Petroquímica tiveram ganho de 2,7%.

De acordo com ela, a área de mercados da CVM identificou uma forte oscilação, comunicou a área de relacionamento com empresas, que, por sua vez, entrou em contato com as empresas envolvidas na sexta-feira à noite solicitando esclarecimentos.

Desempenho das ações

As ações preferenciais da Ipiranga recuavam 5,35% às 16h45 desta segunda-feira, a maior queda do Ibovespa. Já as ações ordinárias, com volume pouco significativo de negócios, disparavam 70%.

As preferenciais da Braskem lideravam a alta do mercado, com ganho de 14,77%, enquanto a Petrobras subia 1,94%.

A Braskem também era destaque de alta do índice de principais ADRS brasileiros, com salto de 13,4% no mercado norte-americano.

No mesmo horário, o Ibovespa registrava valorização de 2,34%.

Mais
Leia outras notícias em UOL Economia

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host