UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

20/03/2007 - 08h29

PANORAMA1-Com agenda morna, investidor monitora bolsas externas

Por Daniela Machado

SÃO PAULO, 20 de março (Reuters) - Sem indicadores de peso previstos no Brasil, o mercado mantém-se atento ao comportamento dos principais mercados mundiais nesta terça-feira.

Na véspera, os ativos brasileiros pegaram carona no bom humor externo e encerraram o dia com ganhos. Os investidores praticamente desconsideraram o aumento do juro na China, decidido no sábado, em meio às tentativas do governo de brecar o forte crescimento do país.

Nesta terça-feira, o banco central do Japão anunciou sua decisão de manter a taxa de juro em 0,50 por cento. A decisão era amplamente esperada, o que acabou não gerando nenhum efeito sobre os mercados asiáticos.

"São esperados importantes anúncios monetários esta semana e é provável que impulsionem uma forte ação de mercado que reflita a posição dos principais bancos centrais em todo o mundo", lembraram os analistas do BBVA em relatório a clientes.

Na entrevista concedida logo após a decisão, o presidente do BC japonês, Toshihiko Fukui, não deixo claro quando poderá elevar o juro no país e repetiu que um possível ajuste será feito de acordo com as análises detalhadas do BC sobre o desenvolvimento da economia e dos preços.

Na quarta-feira é o Federal Reserve que anuncia o juro. Embora a expectativa seja de manutenção da atual taxa de 5,25 por cento, os investidores buscam pistas sobre o ritmo da maior economia do mundo, principalmente pelo temor de que o setor de hipotecas imobiliárias provoque um desaquecimento brusco.

Nesta manhã, outro indicador sobre o setor imobiliário será conhecido: o início de construções nos EUA em fevereiro, com divulgação prevista às 9h30 (horário de Brasília).

Para ler a agenda do dia, clique [nN19290450]

Veja como encerraram os principais mercados na segunda-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,078 reais, com queda de 0,72 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário foi de 3,019 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em alta de 2,3 por cento, a 43.712 pontos. O volume financeiro foi de 4,29 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros avançou 2,42 por cento, aos 22.062 pontos. Entre os destaques, os ADRs da Braskem <BAK.N> subiram 16,5 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria de contratos de depósito interfinanceiro (DI) caiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 ficou em 12,05 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 recuou a 11,80 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, atingiu preço recorde a 134,250 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,79 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil recuava 6 pontos, para 185 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 178 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuava e o rendimento subia a 4,57 por cento, ante 4,55 por cento no final da sexta-feira.

(Reportagem adicional de Nathália Ferreira e Silvio Cascione)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host