UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

29/03/2007 - 08h31

PANORAMA1-Sem trégua na agenda, mercado espera nova meta fiscal

Por Daniela Machado

SÃO PAULO, 29 de março (Reuters) - O ritmo frenético de divulgações econômicas não dá trégua nesta quinta-feira.

No Brasil, os investidores acompanham o resultado fiscal do setor público em fevereiro e, ainda mais relevante, a decisão do governo sobre o superávit primário a ser perseguido em 2007.

Na véspera, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou que o número seria definido em reunião da Junta de Execução Orçamentária nesta quinta-feira. Embora não tenha dado detalhes, Mantega indicou que não é fácil para o governo fazer um corte de gastos.

Com a revisão para cima do crescimento brasileiro, a meta de 4,25 por cento do PIB exigiria maior economia do governo para ser alcançada.

Dados da indústria paulista e a taxa de desemprego no país em fevereiro também serão divulgados.

Nos Estados Unidos é a leitura final do Produto Interno Bruto do quarto trimestre de 2006 que concentrará as atenções. A mediana das projeções de 80 analistas consultados pela Reuters aponta crescimento de 2,2 por cento, o mesmo da divulgação anterior.

Assim, a leitura deve ser consistente com a divulgada em 28 de fevereiro, que mostrou que os estoques empresariais e o setor imobiliário abateram a expansão. Na primeira divulgação, o governo norte-americano informou crescimento de 3,5 por cento.

Para ler a agenda do dia, clique [nN29322278]

Veja como encerraram os principais mercados na quarta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 2,069 reais, com alta de 0,29 por cento.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em queda de 1,60 por cento, a 44.484 pontos. O volume financeiro foi de 3,25 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros caiu 1,72 por cento, aos 22.424 pontos. O destaque ficou com a Brasken <BAK.N>, que recuou 4,71 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria de contratos de depósito interfinanceiro (DI) subiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 recuou para 12,03 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 avançou para 11,72 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, ficou estável a 134,750 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,718 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil recuava 1 ponto, para 171 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 171 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento subia a 4,62 por cento, ante 4,60 por cento no final da terça-feira.

(Reportagem adicional de Nathália Ferreira e Silvio Cascione)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host