UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

12/04/2007 - 17h48

Bovespa cola em NY e tem novo recorde, dólar recua

Por Daniela Machado

SÃO PAULO, 12 de abril (Reuters) - Após o sacolejo na véspera, quando o Federal Reserve reacendeu os temores de inflação nos Estados Unidos, os ativos brasileiros tiveram uma quinta-feira de recuperação.

O dólar voltou a cair. O principal índice da Bovespa avançou para mais de 47 mil pontos no fechamento, marcando um novo recorde, na esteira do avanço das ações em Wall Street.

"Agora (à tarde) as bolsas melhoraram, o risco-país (está) apontando para baixo", citou José Roberto Carreira, gerente de câmbio da corretora Novação, ao explicar a queda da moeda norte-americana.

Embora estável no fim da tarde, o risco Brasil seguia abaixo da média dos emergentes (Embi+).

No mercado de juros, o dia foi de "ressaca" e as projeções encerraram sem rumo comum. Os contratos de depósito interfinanceiro de prazos mais curtos recuaram, enquanto os mais longos subiram.

Pela manhã, a deflação registrada na primeira leitura do IGP-M, de 0,16 por cento, patrocinou a queda dos juros ainda no pregão eletrônico da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F).

Nos Estados Unidos, as bolsas de valores subiram, ajudadas por ações do setor de tecnologia depois que a MedImmune afirmou ter contratado o Goldman Sachs para estudar a venda da companhia. Analistas estimam o negócio entre 11 bilhões e 12 bilhões de dólares.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar fechou a 2,035 reais, com baixa de 0,15 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário foi de 3,88 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em alta de 0,87 por cento, a 47.346 pontos. O volume financeiro foi de 3,07 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros subiu 0,92 por cento, aos 24.356 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósitos interfinanceiros (DI) na BM&F encerraram sem rumo comum. O DI maio de 2007 declinou a 12,48 por cento. O DI janeiro de 2008 subiu a 11,94 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 134,813 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,69 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil mostrava estabilidade, a 156 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 159 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, operava praticamente estável e o rendimento estava em 4,74 por cento.

(Reportagem adicional de Angela Bittencourt, Cláudia Pires e Silvio Cascione)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host