UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

26/04/2007 - 15h34

Investimento sai de fundos chineses após 2006 forte

Por Herbert Lash

NOVA YORK, 25 de abril (Reuters) - Semanas antes de o tombo na Bolsa de Xangai, em fevereiro, provocar uma onda global de vendas, investidores começaram a retirar o montante que atualmente soma 2,6 bilhões de dólares de fundos relacionados a ativos chineses, mostrou uma empresa de consultoria.

A maioria dos mercados já se recuperou, mas o investimento continua a sair da China e de regiões relacionadas, que captaram em 2006 metade dos 24 bilhões de dólares investidos em fundos de ações de mercados emergentes, disse Brad Durham, co-fundador da Emerging Portfolio Fund Research (EPFR).

"O fluxo realmente saiu dos fundos chineses nas últimas semanas e nos últimos meses, apressado pela onda de vendas em fevereiro e março", afirmou Durham em entrevista nesta semana.

A semana encerrada em 7 de fevereiro marcou o primeiro período semanal em muito tempo em que houve saída de capital de fundos chineses e fundos da chamada Grande China, que envolve Hong Kong, Taiwan e China Continental, acrescentou Durham.

De 7 de fevereiro até 18 de abril, última semana com dados disponíveis, cerca de 1,63 bilhão de dólares deixaram os fundos chineses e 934 milhões de dólares saíram de fundos da Grande China.

A mudança é marcante porque a China se destacou em 2006, com retorno de 61,5 por cento dos fundos da região, melhor que qualquer outra classe de ativos ou investimentos, de acordo com o Lipper, uma unidade do grupo Reuters.

Os fundos da região chinesa estão em alta de 6,89 por cento no ano até 19 de abril. Mas muitas outras classes de investimentos se saíram melhor, lideradas pelo setor de serviços públicos, que já avançaram 11,49 por cento, seguidos por fundos da América Latina, que estão com alta de 11,37 por cento.

Os mercados de Brasil, Rússia, Índia e China, que compõem o chamado Bric e foram outro segmento popular de investimento no ano passado, viram saídas nos fundos dedicados a esses países nas últimas semanas e meses, informou Durham.

Não está claro para onde o dinheiro foi, mas Malásia e Cingapura tiveram fortes entradas nos últimos meses. Quase 2,4 bilhões de dólares ingressaram em fundos malasianos nos últimos cinco meses, e 1,53 bilhão de dólares entraram em fundos de Cingapura nos últimos seis meses, afirmou.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host