UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

16/05/2007 - 17h52

PANORAMA2-S&P reforça otimismo com Brasil e dólar cai a R$1,954

Por Daniela Machado

SÃO PAULO, 16 de maio (Reuters) - O mundo parece conspirar a favor dos ativos brasileiros e, como consequência, a Bovespa bateu novo recorde e o dólar teve a maior queda diária em 11 meses nesta quarta-feira.

Desta vez, a euforia dos mercados foi patrocinada pela Standard & Poor's, que melhorou o rating do país e manteve a perspectiva positiva.

"Todo mundo considera a S&P como sendo uma agência mais importante que a Fitch", comentou Alexandre Sant'Anna, analista da ARX Capital Management, lembrando que a Fitch já havia colocado o Brasil a um passo do grau de investimento na semana passada.

No embalo, as projeções de juros de prazos mais longos caíram ao inédito patamar de 9 por cento ao ano.

No mercado de câmbio, o Banco Central retomou a venda de contratos de swap cambial reverso, conseguiu abrandar a queda do dólar, mas acabou atropelado pela notícia da S&P.

No final do dia, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, insistiu que o câmbio é flutuante e descartou um choque de tarifa de importações para conter a valorização do real.

Pelo mundo, o dólar também continuou perdendo terreno e a Colômbia anunciou que pode usar parte do superávit fiscal para comprar a moeda norte-americana e tentar conter a apreciação do peso colombiano.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quarta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,954 real, com queda de 1,41 por cento.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa avançou 2,41 por cento, a 51.737 pontos. O volume financeiro foi de 4,85 bilhões de reais, o mais forte do mês.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros decolou 3,52 por cento, para 27.103 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) caíram na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 foi a 11,34 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 cedeu a 10,51 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, avançava para 135,69 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,54 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil recuava 3 pontos, para 147 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 157 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, mostrava estabilidade, com rendimento de 4,71 por cento.

(Reportagem adicional de Angela Bittencourt, Nathália Ferreira e Juliana Siqueira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host