UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

30/05/2007 - 17h57

China abala abertura, mas índices fecham com recordes

Por Nathália Ferreira

SÃO PAULO, 30 de maio (Reuters) - O tombo na bolsa de Xangai abateu os mercados na abertura, mas a preocupação perdeu peso e tanto a Bolsa de Valores de São Paulo, quanto o Dow Jones e o Standard & Poor's fecharam em recorde histórico nesta quarta-feira.

A ajuda para o alívio dos mercados veio de uma ata do Federal Reserve sem surpresas e que indicou que os riscos para o crescimento dos Estados Unidos devem diminuir.

O início da sessão foi mais negativo porque o recuo de 6,5 por cento na bolsa de Xangai <.SSEC> levantou o temor de uma realização de lucros nas praças acionárias globais, depois que o governo chinês decidiu na véspera aumentar a taxação sobre as operações com ações.

Mas esse receio diminuiu com o decorrer da sessão.

O operador de uma corretora nacional, que não quis ser identificado, ponderou que algumas vezes em que o mercado chinês sofreu uma queda muito brusca, a recuperação na sessão seguinte também foi expressiva. "E não acho que essa mudança na taxação vá segurar o mercado lá", disse.

O analista da Alaron Trading, Bobby Firestone, em Chicago, completou que os investidores estão percebendo que "o mercado acionário chinês não vai quebrar".

O mercado de câmbio acompanhou o vaivém nas bolsas de valores e fechou em queda.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quarta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,942 real, com queda de 0,41 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 5,568 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em alta de 1,57 por cento, a 52.527 pontos. O volume financeiro foi de 4,17 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros avançou 1,64 por cento, aos 27.880 pontos. O destaque ficou com a Tele Norte Leste <TNE.N>, com alta de 3,31 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam sem tendência comum na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 subiu a 11,38 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 ficou estável em 10,67 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 134,19 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,72 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil avançava 1 ponto, para 144 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 154 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, elevava-se e o rendimento recuava a 4,88 por cento, ante 4,89 por cento no final da terça-feira.

(Reportagem adicional de Silvio Cascione e Richard Leong)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host