UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/06/2007 - 18h11

PANORAMA2-Junho começa com recorde na Bovespa e dólar a R$1,90

Por Nathália Ferreira

SÃO PAULO, 1o de junho (Reuters) - O dólar fechou na menor cotação desde outubro de 2000 e a Bolsa de Valores de São Paulo encerrou o dia em nova máxima histórica nesta sexta-feira, depois que indicadores dos Estados Unidos pintaram um cenário de economia resistente.

Fortes ingressos de recursos, em um dia em que o volume de negócios superou os 8 bilhões de dólares, fizeram o dólar encostar na casa dos 1,900 real. Nem mesmo a dupla atuação do Banco Central foi suficiente para brecar a queda da moeda norte-americana.

A Bovespa saltou mais de 2 por cento e superou os 53 mil pontos pela primeira vez na história.

O apetite dos investidores para apostar com tranquilidade em mercados emergentes foi alimentado por indicadores dos EUA: a criação de empregos em maio ficou acima do previsto e o núcleo do índice de preços de gastos com consumo subiu menos que o esperado. Além disso, a confiança do consumidor norte-americano melhorou e a atividade manufatureira do país registrou o maior índice desde abril de 2006.

Em Wall Street, os índices Dow Jones <.DJI> e o Standard & Poor's 500 <.SPX> também fecharam em níveis recordes.

Por aqui, o Banco Central fez leilão de compra de dólar pela manhã e vendeu o equivalente a 1,5 bilhão de dólares em swap cambial reverso na parte da tarde.

Segundo o gerente de câmbio de um banco estrangeiro, que não quis ser identificado, pesou no mercado um forte ingresso de recursos da Arcelor Mittal, para uma oferta pública pelas ações da Arcelor Brasil <ARCE3.SA>, prevista para ser concluída na segunda-feira.

Veja como encerraram os principais mercados nesta sexta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,902 real, com queda de 1,25 por cento. O volume de negócios no segmento interbancário ficou em 8,61 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

A Bovespa encerrou em alta de 2,21 por cento, a 53.422 pontos. O volume financeiro foi de 4,05 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros subiu 3,35 por cento, aos 28.919 pontos. O destaque ficou para a Cemig <CIG.N>, com alta de 6,39 por cento.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria de contratos de depósito interfinanceiro (DI) caiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 recuou para 11,29 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 cedeu a 10,50 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, recuava para 133,500 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 5,804 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil estava em 139 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 148 pontos-básicos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, cedia e o rendimento 4,9577 por cento, ante 4,892 por cento no final da quinta-feira.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host