UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

13/06/2007 - 08h32

PANORAMA1-Agenda esquenta junto com clima do mercado

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 13 de junho (Reuters) - Dado o atual nervosismo do mercado, a agenda cheia desta quarta-feira só tende a aumentar a volatilidade. Os dados internos, embora importantes, devem perder espaço para os números dos Estados Unidos, que têm potencial para influenciar as perspectivas sobre o rumo do juro norte-americano.

No topo da lista, estão o Livro Bege do Fed, sumário sobre as condições econômicas nas 12 regiões em que o banco central dos EUA tem unidades, e preços de importados. Mas a agenda conta ainda com vendas na varejo e estoques empresariais, que também serão acompanhados de perto.

Todos esses números aumentarão as ferramentas de investidores para avaliar como anda a balança entre atividade econômica e inflação.

O termômetro do mercado será o rendimento do título de 10 anos do Tesouro norte-americano <US10YT=RR>, que na véspera atingiu 5,30 por cento, maior nível em mais de cinco anos.

"As pessoas estão bastante nervosas", disse Chris Rupkey, vice-presidente e economista-sênior do Bank of Tokyo-Mitsubishi UFJ. "Dada a rapidez da queda do mercado, não há muito suporte. O rendimento (do Treasury) pode ir a 5,5 por cento."

No Brasil, sai o Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre, que segundo analistas deve ter crescido 1,1 por cento frente ao trimestre de encerramento de 2006. O mercado vai querer ver em especial se os investimentos estão de fato melhorando, o que sinalizaria mais crescimento à frente.

É bom lembrar que essa é a primeira divulgação com a nova metodologia do IBGE, o que pode gerar um número diferente do que o mercado espera. Para ler mais, clique [ID:nN13474530].

A primeira leitura do IGP-M também será monitorada pelo mercado, para ver se o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central vai poder manter o ritmo do corte de juro em 0,5 ponto.

Para ler a agenda do dia, clique [nN13435668]

Veja como encerraram os principais mercados na terça-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,947 real, em alta de 0,31 por cento. Um leilão de compra de dólar feito pelo Banco Central no final da sessão também contribuiu para o movimento.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa caiu 1,86 por cento, a 51.797 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,03 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em baixa de 1,69 por cento, aos 27.425 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) subiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2008 fechou a 11,23 por cento, enquanto o DI janeiro de 2009 foi a 10,59 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para menos de 130 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,27 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil cedia 2 pontos, para 144 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 154 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI>, referência da bolsa de Nova York, fechou em queda de 0,97 por cento, a 13.295 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq <.IXIC> caiu 0,87 por cento, para 2.549 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuava e o rendimento subia a 5,276 por cento no final da tarde, ante 5,17 por cento na segunda-feira.

(Reportagem adicional de Silvio Cascione e Nathália Ferreira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host