UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

18/06/2007 - 08h20

Agenda econômica indica semana mais calma

Juliana Siqueira
De São Paulo
18 de junho (Reuters) - Depois de vários dias de divulgações econômicas importantes a agenda esfria, com potencial de manter o clima otimista em que o mercado financeiro encerrou a semana passada.

Investidores não descartam realizações de lucro, mas nada que afete a atual trajetória dos ativos, depois que dados de inflação norte-americana atenuraram preocupações do mercado e reforçaram apostas de que o Federal Reserve deve manter o juro estável este ano. A próxima reunião acontece nos dias 27 e 28 de junho.

O mercado vai continuar acompanhando de perto o desempenho do rendimento dos títulos do Tesouro norte-americano, que na última quinta-feira atingiu o maior nível em anos, 5,33%, mas recuou para 5,16% na sexta-feira.

No Brasil, o ponto alto da semana é o IPCA, na sexta-feira, enquanto nos Estados Unidos o destaque fica por conta de dados do setor imobiliário, na terça-feira.

Nesta segunda, sai o relatório de vendas no varejo brasileiro, mas o dado é de abril, e não deve ter tanto impacto no mercado. Saem também o IGP-10 de junho e a segunda leitura do IPC-S, além de ser dia de exercício de opções na Bovespa.

Investidores monitoram ainda se os dados que não foram divulgados pelo Banco Central durante a greve de servidores começam a ser divulgados.

Entre as notícias corporativas, ocorre no fim do dia a precificação da oferta de ações da Log-In Logística Intermodal, subsidiária da Companhia Vale do Rio Doce. A operação pode movimentar cerca de R$ 1 bilhão, segundo o prospecto preliminar.

Olhos ainda para enventuais notícias da França envolvendo a Embraer, já que começa nesta segunda a Paris Air Show, maior feira de avião do mundo.

Embora o presidente-executivo da companhia, Frederico Fleury Curado, tenha afirmado à Reuters na sexta-feira que são poucas as chances da fabricante de jatos brasileira fechar novos negócios durante o evento, a empresa informou ter assinado acordos com a Japan Airlines e com a Lufthansa

Veja como fecharam os principais mercados na sexta-feira:

Câmbio

O dólar terminou a R$ 1,912, em baixa de 0,83%. O volume de negócios no segmento interbancário foi de US$ 3,4 bilhões.

Bolsa

A Bovespa encerrou em alta de 1,5%, a 54.518 pontos. O volume financeiro foi de R$ 4,8 bilhões.

ADRs Brasileiros

O índice de principais ADRs brasileiros avançou 2,43%, aos 29.530 pontos.

Juros

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) recuou na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2009, o mais negociado, caiu para 10,47%.

Global 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 131,5% do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,05% ao ano.

Risco-país

No final da tarde, o risco Brasil recuava 2 pontos, para 146 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 156 pontos-básicos.

Bolsas dos EUA

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, subiu 0,63%, para 13.639 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq; avançou 1,05%, a 2.626 pontos. O Standard teve valorização de 0,65%, a 1.532 pontos.

Treasuries de 10 anos

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuperava-se e o rendimento caía a 5,15% no final da tarde, ante 5,23% na quinta-feira.

(Reportagem adicional de Nathália Ferreira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host