UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

05/07/2007 - 14h35

COSAN nega perdas a minoritários com reestruturação societária

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 5 de julho (Reuters) - A Cosan <CSAN3.SA> tentou acalmar nesta quinta-feira os investidores apreensivos com o plano de reformulação societária do maior grupo de açúcar e álcool do país, afirmando que a nova estrutura proposta se compara à de empresas como o Google <GOOG.O> e a Berkshire Hathaway <BRKa.N>, do bilionário Warren Buffett.

O plano de criação da Cosan Limited, que será listada na bolsa de Nova York, concede direitos diferentes para as ações ordinárias de classes A e B, dando mais poder ao acionista controlador, fato que desagradou o mercado.

A Cosan Limited será controladora da Cosan SA, que tem ações negociadas no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo. O anúncio da reestruturação, no início da semana passada, provocou forte queda nos papéis da Cosan SA.

"O controle continuará a ser exercido por quem sempre o exerceu... consolidado na figura do nosso acionista controlador indireto, o Sr. Rubens Ometto Silveira Mello", disse o vice-presidente financeiro da Cosan, Paulo Diniz.

O executivo disse que o Google e a Berkshire Hathaway também têm classes de ações com direitos distintos de voto.

Em seu site de Relações com Investidores, o Google afirma que sua estrutura com duas classes de ações com direito a voto foi estabelecida na transição de uma empresa privada para uma companhia listada em bolsa, "para tornar mais difícil que terceiros assumam ou tenham influência sobre o Google".

As ações classe A da Cosan Limited darão direito a um voto nas deliberações, enquanto as classe B --que estarão nas mãos do atual grupo de controle-- representarão 10 votos.

Durante teleconferência com analistas sobre a reestruturação societária, Diniz defendeu que não se trata de criar uma classe inferior de ações, porque a liquidez estará concentrada nos papéis classe A da Cosan Limited.

O executivo ressaltou ainda que se as ações classe B forem vendidas pelo atual grupo de controle, elas serão convertidas em classe A.

No caso de votações em assembléia relativas a interesses de acionistas minoritários da Cosan Limited, o peso do voto das duas classes de ações se equipara.

A Cosan Limited pretende fazer uma oferta global de até 2 bilhões de dólares nos Estados Unidos. Depois disso, os atuais acionistas minoritários da Cosan SA, na Bovespa, poderão migrar para a Cosan Limited, recebendo ações classe A. Segundo Diniz, a empresa espera que a relação de troca seja de 1 para 1.

Às 14h33, os papéis da Cosan SA cediam 1,40 por cento, para 31,70 reais. Desde o anúncio da reestruturação, em 25 de junho, a ação acumula baixa de cerca de 12 por cento. No mesmo período o índice Bovespa <.BVSP> subiu aproximadamente 2 por cento.

De acordo com a Cosan, o objetivo da reorganização é criar uma plataforma global de expansão do grupo, com custos de capital menores e regime tributário mais eficiente. A Cosan SA será o veículo de investimento no Brasil e a Cosan Limited ficará responsável pelos negócios no exterior.

COSAN NÃO ESTÁ À VENDA

Na teleconferência, o vice-presidente da Cosan negou que a companhia esteja à venda, depois de rumores que circularam no mês passado por uma notícia publicada no Wall Street Journal de que a Archer Daniels Midland (AMD), maior produtora de etanol dos EUA, estaria interessada em comprar a empresa brasileira.

"O controle acionário da Cosan SA não está à venda. Manifestações na imprensa em sentido contrário devem ser entendidas como especulativas e sem fundamento", disse Diniz.

"O Sr. Rubens se comprometerá com 'lock-up' longo, de três anos, com relação à qualquer venda parcial de suas ações. Até porque o grupo Cosan ainda está em uma importante fase de expansão e crescimento", concluiu Diniz.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host