UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

11/07/2007 - 17h38

PANORAMA2-Wall St reage e ajuda Bovespa; BC breca queda do dólar

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 11 de julho (Reuters) - O otimismo com notícias corporativas ofuscou as preocupações com o setor de crédito imobiliário de risco nos Estados Unidos nesta quarta-feira. Como resultado, as bolsas de valores em Nova York recuperaram parte das perdas das últimas sessões e animaram a Bovespa.

A alta do petróleo, que deu força às ações do setor de energia, também contribuiu para a melhora do clima em Wall Street. Na Bovespa, as compras foram impulsionadas ainda pela expectativa de lucros trimestrais de empresas e de um corte do juro básico na próxima semana.

O mercado, porém, manteve-se atento às notícias relacionadas ao setor de crédito norte-americano. O anúncio da empresa de crédito estudantil Sallie Mae <SLM.N> de que poderia estar ameaçado o acordo de 25 bilhões de dólares para sua venda foi suficiente para fazer o índice financeiro da Standard & Poor's reverter a trajetória e operar em baixa.

Além disso, a Câmara dos Deputados dos EUA votou pelo corte de subsídios federais para companhias que atuam no segmento da Sallie Mae, ignorando uma ameaça de veto da Casa Branca.

No Brasil, o Banco Central informou que o fluxo cambial positivo bateu novo recorde em junho --16,561 bilhões de dólares. O recorde anterior pertencia ao mês de abril, quando o país teve entrada líquida de 10,7 bilhões de dólares.

O ingresso de capitais no país, junto com o desempenho positivo das ações, levou o dólar a 1,88 real durante a sessão, mas a atuação do BC deu alguma sustentação à moeda norte-americana.

A posição vendida em dólar dos bancos (que apostam na queda do dólar) caiu do recorde em maio e voltou aos patamares vistos nos meses anteriores. No início de junho, o BC anunciou medidas para reduzir a exposição líquida cambial das instituições financeiras.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quarta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,892 real, com variação negativa de 0,05 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 4,87 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 0,85 por cento, a 56.356 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,08 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 1,74 por cento, aos 30.589 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) recuou na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2009 fechou a 10,67 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 caiu a 10,70 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 131,125 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,07 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil recuava 5 pontos, para 153 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 168 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> avançou 0,56 por cento, para 13.577 pontos. O Nasdaq <.IXIC> subiu 0,48 por cento, a 2.651 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> teve alta de 0,57 por cento, para 1.518 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuava e o rendimento subia a 5,09 por cento no final da tarde ante 5,03 por cento na terça-feira.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira e Angela Bittencourt)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host