UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

12/07/2007 - 17h43

PANORAMA2-Menor aversão ao risco impulsiona recorde de ações

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 12 de julho (Reuters) - O mercado engatou a quinta marcha e teve uma quinta-feira de recordes, com os investidores migrando de ativos considerados mais seguros para as bolsas de valores.

O bom desempenho de redes varejistas norte-americanas trouxe otimismo para os investidores logo na abertura dos pregões. Além disso, o acordo de compra da Alcan <AL.TO> pela Rio Tinto <RIO.AX> <RIO.L> fez as ações da mineradora Alcoa <AA.N> dispararem, já que a empresa passou a ser vista por analistas como um possível alvo de aquisição no setor.

A alta do petróleo também contribuiu para o forte desempenho do mercado acionário. O índice Dow Jones, referência da Bolsa de Nova York, subiu mais de 2 por cento e bateu recorde histórico.

A série de notícias positivas atraiu os investidores, que retiraram dinheiro de refúgios mais seguros, como títulos do Tesouro norte-americano, para aplicar no mercado acionário.

"A pressão sobre os preços dos Treasuries é principalmente porque os investidores estão correndo para as ações", disse Beth Malloy, analista do mercado de bônus da Briefing.com, em Chicago.

A menor aversão ao risco por estrangeiros estimulou a Bolsa de Valores de São Paulo, que avançou mais de 2 por cento e superou 57 mil pontos para cravar mais uma marca histórica.

A entrada de capitais estrangeiros na bolsa paulista teve efeito também sobre o dólar, que pelo quarto dia seguido fechou abaixo de 1,90 real. O fluxo cambial positivo, que nos primeiros seis meses já supera o resultado de 2006 inteiro, faz o dólar acumular queda de mais de 12 por cento no ano.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,874 real, em baixa de 0,95 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 5,034 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa disparou 2,23 por cento, a 57.613 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 5,83 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 3,8 por cento, aos 31.752 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) caiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2009 encerrou a 10,60 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 recuou a 10,62 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, mostrava estabilidade, a 131.125 por cento do valor de face, no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,07 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil caía 5 pontos, para 149 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 163 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> avançou 2,09 por cento, para 13.861 pontos. O Nasdaq <.IXIC> subiu 1,88 por cento, a 2.701 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> ganhou 1,91 por cento, a 1.547 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuava e o rendimento subia a 5,13 por cento no final da tarde ante 5,09 por cento na quarta-feira.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira e Angela Bittencourt)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host