UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

27/07/2007 - 17h54

PANORAMA2-Receio com crédito ainda pesa, mas perdas diminuem

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 27 de julho (Reuters) - Os mercados financeiros não repetiram nesta sexta-feira as profundas perdas da véspera, mas mostraram intensa volatilidade. A tensão com os problemas no setor de crédito de risco nos Estados Unidos e a possível contaminação sobre a economia ainda paira sobre osinvestidores.

O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, que já havia cedido quase 4 por cento na quinta-feira, caiu quase 2 por cento nesta sessão, depois de esboçar uma alta. O dólar teve a maior queda desde junho de 2006.

Acompanhando o comportamento da moeda norte-americana, a maioria dos contratos de juros futuros operou em forte queda e também reverteu parte do avanço de quinta-feira, quando o Tesouro Nacional suspendeu a realização de um leilão de títulos públicos.

As bolsas de valores norte-americanas também chegaram a operar em alta, repercutindo a informação de que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu mais que o esperado no segundo trimestre. Prevaleceu, porém, a preocupação com o turbulento setor de crédito.

"A repentina crise de liquidez no mercado de dívida de alto rendimento é apenas o sinal mais recente de que há uma conexão que liga todos os mercados, e seus preços e rendimentos, ao destino da economia norte-americana", disse Bill Gross, gerente do maior fundo de bônus do mundo, a Pimco.

O mercado de petróleo também teve um dia movimentado, e o barril da commodity nos EUA fechou no segundo maior valor da história, a 77,02 dólares.

O risco Brasil não repetiu a disparada de quinta-feira e caiu levemente.

Para o diretor de câmbio do Banco Paulista, Tarcísio Rodrigues, a saída de investidores do Brasil não está ligada a uma maior percepção de risco sobre o país. "Se você verificar, (muitos eram) investidores que... têm participação forte em investimento imobiliário nos EUA. O que me faz crer que realmente não foi uma saída pelo risco do país, mas sim por perdas que ocorreram lá e tiveram que pagar o prejuízo."

Veja como encerraram os principais mercados nesta sexta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,895 real, em queda de 1,71 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 2,320 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa caiu 1,8 por cento, a 52.922 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,68 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em baixa de 0,88 por cento, aos 28.945 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) recuou na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2009 caiu para 10,96 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 fechou a 11,07 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, recuava para 127,500 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,55 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil cedia 4 pontos, para 219 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 226 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> perdeu 1,54 por cento, para 13.265 pontos. O Nasdaq <.IXIC> caiu 1,43 por cento, a 2.562 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> teve queda de 1,6 por cento, para 1.458 pontos, e contabilizou a pior semana em quase cinco anos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento caía a 4,77 por cento no final da tarde ante 4,81 por cento na quinta-feira.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira e Angela Bittencourt)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host