UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/08/2007 - 08h32

PANORAMA1-Mercado abre agosto ainda receoso com crédito nos EUA

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 1o de agosto (Reuters) - Agosto começa com o mercado tendo apenas uma certeza: a volatilidade vai persistir.

Nesta quarta-feira, o desempenho será mais "limpo", sem a pressão de mostrar um bom fechamento de mês na carteira. Os eventos de maior peso programados para o dia são um relatório do setor manufatureiro e outro de vendas pendentes de moradias nos Estados Unidos.

Mas nada impede que o mercado seja surpreendido por notícias do setor de crédito. Na véspera, a informação de que a American Home Mortgage Investment <AHM.N>, do setor de hipotecas, está incapacitada de tomar empréstimos por meio de suas linhas bancárias e que procura maneiras de levantar dinheiro ajudou a derrubar os mercados no fim do dia.

As ações da American Home, que não eram negociadas desde sexta-feira, despencaram 90 por cento.

O anúncio da American Home mostrou como as preocupações com qualidade do crédito e inadimplência têm se espalhado além dos empréstimos imobiliários de alto risco, o chamado "subprime.

"Os problemas nos mercados de crédito estruturado ainda estão se desdobrando, e é difícil para qualquer um saber quando vai acabar ou em quanto dano resultará", afirmaram os analistas Larry Kantor e Mark Howard, do Barclays, em relatório.

"Esse episódio provavelmente acabará sendo melhor caracterizado por uma reprecificação do risco em níveis mais normais, (deixando para trás) condições de crédito que estavam extraordinariamente fáceis", acrescentaram.

Na noite de terça-feira, o O Bear Stearns <BSC.N>, que viu recentemente o colapso de dois de seus hedge funds, informou ter suspendido os resgates de um terceiro hedge fund depois que investidores preocupados tentaram sacar seus recursos.

O mercado local também vai digerir dois balanços de peso. Na noite de terça-feira, a Brasil Telecom <BRTP4.SA> informou alta de quase 40 por cento no lucro do segundo trimestre, ajudada pela melhora do resultado operacional [ID:nN31271902].

A Companhia Vale do Rio Doce <VALE5.SA> divulgou lucro recorde, mas que subiu um pouco menos que o esperado por analistas consultados pela Reuters [nN31273788].

Para ler a agenda do dia, clique [nN31200250]

Veja como encerraram os principais mercados na terça-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,883 real, em alta de 0,32 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 6,9 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa caiu 0,71 por cento, a 54.182 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 5,06 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em queda de 0,76 por cento, aos 29.489 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) subiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2009 avançou a 10,93 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 fechou a 11,03 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, recuava para 128,69 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,38 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil subia 4 pontos, para 212 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 223 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> caiu 1,10 por cento, para 13.211 pontos. O Nasdaq <.IXIC> perdeu 1,43 por cento, a 2.546 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> recuou 1,26 por cento, para 1.455 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento caía a 4,74 por cento no final da tarde ante 4,81 por cento na segunda-feira.

(Reportagem adicional de Silvio Cascione e Walter Brandimarte em Nova York)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host