UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

02/08/2007 - 08h31

Agenda tem bens duráveis, mas foco ainda é em crédito

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 2 de agosto (Reuters) - Enquanto o mercado tenta mensurar o tamanho dos problemas do setor imobiliário, alguns dados econômicos acabam ficando em segundo plano. Foi o caso de quarta-feira e pode muito bem se repetir nesta quinta-feira.

No fim da quarta-feira, o Fundo Monetário Internacional disse que o cenário mais provável para a economia dos Estados Unidos é de "pouso suave" e que a perspectiva é favorável, mas citou riscos por conta do mercado imobiliário.

A agenda do dia é relativamente fraca e conta apenas com o relatório de bens duráveis e encomendas à indústria nos Estados Unidos e a decisão de juros na zona do euro.

A previsão para o juro europeu é que a taxa seja mantida em 4%, mas que o BCE sinalize uma elevação em setembro.

A expectativa maior é pelo relatório de emprego norte-americano, na sexta-feira. O sentimento quanto ao relatório ficou um pouco mais negativo depois que um dado do setor privado mostrou a abertura de cerca de metade do número postos esperados por economistas em julho.

No âmbito de notícias corporativas, cresce a expectativa pelo resultado do processo de venda da Telemig Celular e da Amazônia Celular, depois que ambas adiaram a divulgação do resultado para esta quinta-feira, após o fechamento do mercado.

Veja como encerraram os principais mercados na quarta-feira:

CÂMBIO
O dólar terminou a 1,893 real, em alta de 0,53%. O volume do segmento interbancário foi de 2,145 bilhões de dólares.

BOLSA
O Ibovespa teve oscilação positiva de 0,09%, a 54.233 pontos. O volume financeiro na Bolsa foi de 5 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS
O índice de principais ADRs brasileiros fechou com oscilação negativa de 0,09%, a%, aos 29.461 pontos.

JUROS
Os juros subiram pelo segundo dia seguido na na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2009 subiu a 11,03 a%, enquanto o DI janeiro de 2010 foi a 11,17%.

GLOBAL 40
O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subiu para 129,813% do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 6,226% ao ano.

RISCO-PAÍS
No final da tarde, o risco Brasil caía 8 pontos, para 200 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 216 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA
O índice Dow Jones subiu 1,14%, para 13.362 pontos. O Nasdaq avançou 0,30%, a 2.553 pontos. O índice S&P 500 teve alta de 0,72%, para 1.465 pontos.

TREASURIES DE DEZ ANOS
O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de dez anos, referência do mercado, caiu e o rendimento subiu a 4,78% no final da tarde, frente aos 4,73% de terça-feira.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host