UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

08/08/2007 - 12h17

HSBC está de olho em oportunidades em bônus de emergentes

Por Laurence Fletcher

LONDRES, 8 de agosto (Reuters) - As turbulências no mercado de dívida causadas pela crise do crédito imobiliário de risco nos Estados Unidos criaram oportunidades no mercado de bônus corporativos de emergentes, embora as melhores opções sejam encontradas mesmo nos Estados Unidos, afirmou a HSBC <HSBA.L> Investments.

Peter Marber, chefe global de renda fixa de mercados emergentes, disse à Reuters em recente entrevista que comprou bônus de 10 anos emitidos em moedas fortes como os do frigorífico brasileiro Marfrig <MRFG3.SA> e da empresa de gás do Cazaquistão Intergas, depois que os rendimentos subiram.

"O (fundo do HSBC) New World Income está definitivamente se preparando para o crédito corporativo", disse.

A volatilidade vista no mercado financeiro global segue a crise no setor de hipoteca de risco nos Estados Unidos, que concede empréstimo a pessoas de histórico fraco e que recentemente viu forte alta da inadimplência.

"Em poucas semanas eles (bônus do Marfrig) se recuperaram de (um rendimento) de 8,3 por cento para 9,6 por cento... Isso atrai seu interesse... quando vemos uma recuperação de 130 pontos-básicos."

Em junho, o HSBC Investments afirmou que estava lançando os fundos Global Emerging Markets Local Debt e o New World Income para investir em bônus denominados em dólar e em moeda local.

Marber disse, entretanto, que a crise do setor imobiliário criou mais oportunidades de bônus corporativos nos Estados Unidos que nos mercados emergentes.

"É nos Estados Unidos que estão as melhores oportunidades. Os mercados emergentes não foram reprecificados da forma que os Estados Unidos foram."

Os mercados emergentes têm registrado desempenho acima de outros mercados de risco nas recentes crises e Marber afirmou que isso ocorre porque eles não são mais visto como tão arriscados por investidores.

"Os mercados emergentes parecem muito diferentes. A maioria dos países aprendeu sua lição nas últimas décadas. Poucos têm refinanciado risco."

Na quarta-feira os spreads da dívida soberana de emergentes caíram 14 pontos, para 197 pontos, sobre os títulos do Tesouro norte-americano, segundo o índice Embi+ do JP Morgan <11EMJ>.

O HSBC administra cerca de 63 bilhões de dólares em ativos de emergentes.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host