UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

09/08/2007 - 08h34

PANORAMA1-Agenda fraca aumenta foco sobre balanços corporativos

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 9 de agosto (Reuters) - O mercado não deve abandonar, nesta quinta-feira, as preocupações com o setor de crédito imobiliário dos Estados Unidos, mas a agenda de indicadores econômicos esvaziada tende a colocar o foco sobre balanços corporativos.

Alguns analistas não descartam um movimento de realização de lucros após dois dias animados. O risco-país caiu mais de 20 pontos-básicos, voltando a níveis pré-crise e mostrando aumento do apetite por risco.

Comentários do Federal Reserve de que vê crescimento moderado nos EUA, apesar da crise do setor de hipotecas, melhoraram o humor de investidores.

Também nessa linha, o Fundo Monetário Internacional (FMI) disse que o impacto dos problemas do setor em grandes instituições financeiras dos Estados Unidos tem sido limitado.

Já a agência de classificação de risco Standard & Poor's avaliou que a crise provavelmente afetará o resultado dos grandes bancos de investimentos norte-americanos no terceiro trimestre, embora não deva provocar prejuízos.

Nesta quinta-feira, o mercado brasileiro repercute a divulgação dos resultados de Gol <GOLL4.SA> e Unibanco <UBBR11.SA>.

No caso do Unibanco, o lucro líquido foi de 841 milhões de reais no segundo trimestre, avanço de 53,5 por cento em relação ao mesmo período do ano passado [id:nN09426581]. A Gol teve o resultado favorecido por créditos fiscais da aquisição da Varig, segundo normas contábeis brasileiras [id:nN09403954].

Para ler a agenda do dia, clique [nN08337853]

Veja como encerraram os principais mercados na quarta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,886 real, em baixa de 1,10 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 3,646 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa avançou 2,67 por cento, a 55.241 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,995 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 2,80 por cento, aos 29.898 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) recuou na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2009 fechou a 10,99 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 caiu a 11,13 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 131,500 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento inferior a 6 por cento pela primeira vez desde 19 de junho.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil cedia 23 pontos, para 171 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 192 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> subiu 1,14 por cento, para 13.657 pontos. O Nasdaq <.IXIC> avançou 2,01 por cento, a 2.612 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> ganhou 1,41 por cento, para 1.497 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuava e o rendimento subia a 4,88 por cento no final da tarde ante 4,78 por cento na terça-feira.

(Reportagem adicional de Silvio Cascione e Angela Bittencourt)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host