UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/08/2007 - 18h15

PANORAMA2-Ações têm leve alta e dólar cai abaixo de R$2

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 23 de agosto (Reuters) - A recuperação dos mercados internacionais perdeu fôlego nesta quinta-feira, mas no Brasil a bolsa de valores teve força para encerrar em leve alta e o dólar caiu novamente, voltando a ser negociado abaixo dos 2 reais.

Pouco antes do fechamento da Bolsa de Valores de São Paulo, a agência de classificação de risco Moody's elevou os ratings do país em moeda estrangeira e local de "Ba2" para Ba1", uma nota abaixo do chamado grau de investimento.

Outras duas grandes agências --Standard & Poor's e Fitch-- já haviam elevado a nota do Brasil a um degrau do "investment grade" em maio.

A bolsa paulista fechou com ligeira valorização após passar a maior parte do dia em terreno negativo por causa da fraqueza em Wall Street.

Os negócios em Nova York interromperam a série positiva dos últimos dias em meio à preocupação trazida por comentários do presidente da Countrywide, maior concessora de hipotecas dos Estados Unidos. Angelo Mozilo disse que a desaceleração imobiliária pode levar a uma recessão na maior economia do mundo.

Por aqui, o mercado de câmbio monitorou de perto a instabilidade no exterior. O dólar recuou, influenciado pelo fluxo cambial positivo em meio à entrada de moeda trazida por exportadores.

O comércio exterior tem sustentado o fluxo cambial positivo para o país. De acordo com dados do Banco Central, o fluxo ficou positivo em 6,118 bilhões de dólares em agosto até o dia 21.

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, aumentou a oscilação das taxas de juros após um surpreendente anúncio de alta da inflação medida pelo IPCA-15 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) pela manhã.

O IPCA-15 de agosto subiu 0,42 por cento, ante projeção média de 0,28 por cento. A informação patrocinou a alta dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) pela manhã e reforçou a suspeita de que o Banco Central poderá interromper, em breve, o ciclo de queda da taxa Selic.

O impacto do resultado do IPCA-15 sobre os juros futuros foi contrabalançado, porém, pela queda do dólar.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,988 real, em queda de 1,24 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 4,116 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 0,2 por cento, aos 51.848 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de quase 4,7 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou com valorização de 0,52 por cento, aos 27.067 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Na BM&F, os DIs sofreram ajustes mais discretos e a maioria dos contratos caiu. Entre os mais negociados, o DI janeiro de 2009 foi exceção e subiu a 11,77 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 caiu a 12,03 por cento ao ano.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 131.313 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,999 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil cedia 10 pontos, para 200 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 227 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> fechou estável, aos 13.235 pontos. O Nasdaq <.IXIC> caiu 0,43 por cento, a 2.541 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> recuou 0,11 por cento, para 1.462 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento subia a 4,66 por cento no final da tarde.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira e Angela Bittencourt)

Hospedagem: UOL Host