UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/08/2007 - 08h28

Exposição de bancos asiáticos a crédito nos EUA derruba ações

Por Alison Leung e Tony Munroe

HONG KONG, 24 de agosto (Reuters) - Quatro dos maiores bancos da Ásia, incluindo o gigante estatal Banco da China, revelaram nesta sexta-feira uma exposição maior do que a esperada ao crítico mercado de crédito imobiliário de alto risco norte-americano. A notícia derrubou as ações das instituições.

A notícia gerou dúvidas, uma vez que os bancos asiáticos podem não estar tão imunes à crise quanto os investidores imaginavam, mesmo considerando que essas instituições são mais voltadas para seus mercados domésticos e adotam postura mais avessa a risco, por conta da crise financeira que afetou a região há uma década.

O Banco da China e sua subsidiária em Hong Kong --BOC Hong Kong-- informaram que detêm juntos uma exposição de US$ 11,25 bilhões no segmento de crédito imobiliário de alto risco. Até o momento, essa é a maior exposição revelada por uma companhia asiática.

O DBS Holdings Group de Cingapura informou à agência de notícias Reuters que sua exposição soma US$ 1,6 bilhão. Já o Cathay Financial, mais uma empresa financeira de Taiwan, divulgou que sua exposição aos créditos de alto risco somam cerca de US$ 100 milhões.

"O mercado, incluindo nós, ficou surpreso ao ver que o Banco da China tem uma grande exposição a ativos relacionados ao mercado de crédito de alto risco dos Estados Unidos", afirmou Samuel Chen, analista do JPMorgan.

As ações da subsidiária do Banco da China em Hong Kong chegaram a cair cerca de 8% e encerraram a sessão com desvalorização de 5,4%, o que ajudou a puxar para o terreno negativo o desempenho do índice Hang Seng da Bolsa local.

Hospedagem: UOL Host