UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/09/2007 - 18h24

PANORAMA2-Mercado mantém bom humor com retomada positiva nos EUA

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 4 de setembro (Reuters) - Os investidores norte-americanos voltaram bem-humorados do feriado do Dia do Trabalho, e a alta das ações nos Estados Unidos impulsionou os mercados brasileiros nesta terça-feira em mais um dia de volatilidade relativamente pequena.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a superar os 55 mil pontos, com alta de mais de 1 por cento, e o dólar caiu pela terceira sessão consecutiva em outra sessão com volume reduzido de negócios.

O tom positivo se fortaleceu após a divulgação do relatório do Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) sobre a atividade manufatureira nos Estados Unidos. A queda do índice para 52,9 no mês passado, ante 53,8 em julho, alimentou a expectativa por um corte do juro nos Estados Unidos. Dados acima de 50 indicam expansão do setor.

"Nesse ponto, a linha divisória de 50 (do índice de atividade manufatureira) se torna muito importante para dizer se a economia está se expandindo ou se contraindo", disse Chris Rupkey, economista do Banco Tokyo/Mitsubishi, em Nova York.

No mesmo dia foram divulgados também dados sobre o ritmo de crescimento da indústria global, que desacelerou em agosto para o menor nível em cinco meses. O Índice Manufatureiro Global PMI, produzido pelo JP Morgan com organizações de pesquisa e gestão de fornecimento, caiu para 53,0, ante 53,3 em julho. É o patamar mais baixo desde março.

No Brasil, o setor industrial surpreendeu de forma negativa, mas a comparação com o ano passado ainda é bastante favorável. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção caiu 0,4 por cento em relação a junho. Na comparação com julho do ano passado, no entanto, as fábricas produziram 6,8 por cento mais.

No mercado de juros futuros, a maioria dos contratos negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) fechou em queda, influenciados principalmente pelo leilão de títulos realizado pelo Tesouro Nacional. O governo vendeu quase toda a oferta de papéis federais e pagou taxas menores aos compradores, restabelecendo o patamar de venda observado antes da crise do mercado imobiliário norte-americano.

Veja como encerraram os principais mercados nesta terça-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,949 real, em queda de 0,31 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 2,153 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa fechou em alta de 0,76 por cento, a 55.250 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,4 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros avançou 2,06 por cento, aos 29.381 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) caiu na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O DI janeiro de 2009 recuou para 11,44 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 cedeu a 11,68 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, estava estável a 132,188 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,87 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil fechou estável a 195 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 222 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> teve alta de 0,68 por cento, para 13.448 pontos. O Nasdaq <.IXIC> avançou 1,30 por cento, a 2.630 pontos e o índice S&P 500 <.SPX> subiu 1,05 por cento, para 1.489 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, recuou e o rendimento aumentou para 4,55 por cento no final da tarde.

(Reportagem adicional de Juliana Siqueira, Renato Andrade e Angela Bittencourt)

Hospedagem: UOL Host