UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

21/09/2007 - 08h21

Ágora mantém preço para Positivo, apesar de liminar do STF

SÃO PAULO (Reuters) - A corretora Ágora manteve preço-alvo de 59 reais para a ação ordinária da Positivo, mesmo com a liminar concedida esta semana pelo Supremo Tribunal Federal que suspendeu benefícios fiscais concedidos pelo Paraná a empresas do setor de informática no Estado.

A corretora citou como justificativa para a manutenção do preço o fato de tratar-se de uma "liminar e não de uma decisão final, sem impacto, portanto, nas vendas e receitas da empresa no curto prazo" e que o decreto estadual que teve os efeitos suspensos pela liminar "não é o que beneficia a Positivo Informática diretamente".

Segundo a Ágora, a probabilidade de a empresa continuar produzindo computadores no Paraná sem o benefício fiscal, que de acordo com a corretora reduz a alíquota de ICMS de 12 para 3 por cento da receita bruta, é "muito baixa".

"O pior cenário para a empresa é ser forçada a mudar sua planta de montagem de computadores para outro Estado...estes custos ainda não foram mensurados pela empresa, mas acreditamos que não serão significativos, dado a simplicidade do processo de montagem de PCs", pontua a corretora em relatório.

O STF concedeu no final da quarta-feira pedido de liminar feito pelo governador do Amazonas, Eduardo Braga, em ação que contesta os incentivos paranaenses. Segundo nota do STF, o governo do Amazonas sustenta que os benefícios do Paraná acirram a guerra fiscal entre os Estados e criam vantagens tributárias (ICMS) inconstitucionais.

No pregão de quinta-feira as ações da Positivo fecharam em queda de 11,6 por cento, cotadas a 42,20 reais, pressionadas pela liminar do STF.

Hospedagem: UOL Host